Tumores associados à epilepsia de longa duração do lobo temporal: parâmetros clínicos, neurofisiológicos, de neuroimagem, histopatológicos e prognóstico cirúrgico

Imagem de Miniatura
Data
2021
Autores
Odreman, Marlene Del Valle Maiz [UNIFESP]
Orientadores
Yacubian, Elza Marcia Targas [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Low-grade neoplasms of the central nervous system are the most common solid tumors found in childhood and among children under 19 years old and represent an essential etiological group of epilepsy refractory to clinical treatment. Thirty percent of patients with epilepsy refractory to antiseizure medicines have neuroepithelial neoplasms, among which gangliogliomas and dysembrioplastic neuroepithelial tumors are the most frequently recognized entities. Objective: At the time of presurgical workup, we evaluated whether the clinical, electrophysiological, neuroimaging, and histopathological characteristics in a series of patients with temporal lobe long-term epilepsy-associated tumors (LEATs) could predict the postsurgical seizure outcome. Methods: in a retrospective study, we included the medical records of 22 patients, which were divided according to their surgical outcome in remission (Engel IA) and non-remission (Engel IBIII) groups. Results: sixty-eight percent of the patients were complete seizure-free after surgery. Those with an unfavorable surgical outcome presented focal to bilateral tonicclonic seizures (FBTCS, p=0.01), more diffuse lesions (p=0.07), and residual tumors (p=0.02) on the MRI. They also had more tumor infiltration towards the anterior temporal cortex (p=0.03), parahippocampus (p=0.03), basal ganglia (p=0.08), and insula (p=0.09). Electroencephalographic/electrocorticographic (EEG/ECoG) patterns suggestive of cytoarchitectural abnormalities were observed in MRI negative LEATs satellites (3/5) and, to a lesser extent, in focal cortical dysplasia (FCD, 1/2). Conclusion: the initial evaluation of patients with LEATs might permit us to predict surgical results. Factors such as the presence of FBTCS, tumors with diffuse margins on MRI, and infiltration of potentially unresectable structures are associated with persistent seizures after surgery; LEATs with additional tissue abnormalities may show EEG/ECoG patterns suggestive of FCDs, due to the high frequency of tumor satellites in LEATs, ECoG-guided resection is particularly important for a good outcome.
As neoplasias de baixo grau do sistema nervoso central são os tumores sólidos mais frequentes encontrados na infância e entre menores de 19 anos e representam um grupo etiológico importante de epilepsia refratária ao tratamento clínico. Trinta por cento dos pacientes com epilepsia refratária a fármacos anticrises apresentam neoplasias neuroepiteliais entre as quais os gangliogliomas e os tumores neuroepiteliais disembrioplástico são as entidades mais frequentemente reconhecidas. Objetivo: determinar se no momento da investigação pré-cirúrgica, as características clínicas, eletrofisiológicas, de neuroimagem e histopatológicas em uma série de pacientes com tumores associados à epilepsia de longa duração (TAELODs) do lobo temporal poderiam prever o resultado pós-cirúrgico das crises epilépticas. Métodos: neste estudo retrospectivo foram incluídos 22 pacientes (11 do sexo feminino; idade média 9,3 ± 6,3 anos) com crises epilépticas relacionadas a TAELODs, encaminhados à Unidade de Pesquisa e Tratamento das Epilepsias e submetidos à cirurgia no Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, Brasil, entre janeiro de 2003 e agosto de 2019. Os pacientes foram divididos de acordo com o resultado cirúrgico: grupo em remissão (Engel IA) e grupo sem remissão (Engel IB- III) das crises epilépticas. Resultados: sessenta e oito por cento dos pacientes estavam livres de crises epilépticas após a cirurgia. Aqueles com desfecho cirúrgico desfavorável apresentaram crises focais com evolução para tônico-clônica bilateral (FTCB) (p = 0,01), lesões mais difusas (p = 0,07), e tumores residuais (p = 0,05) na ressonância magnética pós-cirúrgica. Eles também tiveram tumores com infiltração no córtex temporal anterior (0,02), giro parahipocampal (p = 0,03), gânglios da base (p = 0,08) e ínsula (p = 0,09). Padrões de EEG/ECoG sugestivos de anormalidades citoarquiteturais foram observados nos TAELODs com satélites tumorais (três de cinco pacientes) e, em menor extensão, nas displasias corticais focais (DCFs) observadas em um de dois pacientes. Conclusões: É possível prever os resultados cirúrgicos na avaliação inicial de pacientes com TAELODs. Uma combinação das características dos paciente permitiu a distinção entre Engel IA e outras classes, fatores como: presença de crises FTCB, tumores com margens difusas na RM, infiltração de estruturas xiv potencialmente não ressecáveis e localização em áreas do lobo temporal mesial foram associados à persistência das crises epilépticas após a cirurgia; TAELODs com anormalidades teciduais adicionais, como satélites tumorais e malformações citoarquiteturais, podem expressar padrões de EEG/ECoG sugestivos de DCFs. Devida à alta frequência de estas anormalidades corticais, a ressecção guiada por ECoG é particularmente importante para um bom resultado pós-cirúrgico.
Descrição
Citação