A distribuição de gordura corporal e suas repercussões clínicas, funcionais, metabólicas e inflamatórias em pacientes obesos, com e sem apneia obstrutiva do sono

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2021
Autores
Villaca, Debora Strose [UNIFESP]
Orientadores
Moura, Sonia Maria Guimaraes Pereira Togeiro De [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
INTRODUCTION: Morbid obesity (BMI ≥ 40 kg/m2) is related to several health-impairing comorbidities, such as Obstructive Sleep Apnea, which can have an additional negative impact on quality of life as it is associated with excessive sleepiness, accidents, cardiovascular morbidity, cognitive impairment, anxiety, depression and metabolic dysfunction. However, they deserve to be evaluated as the phenotypes of fat distribution in this population affect the Obstructive Sleep Apnea and the inflammatory metabolic profile, as well as the impact of bariatric surgery on such abnormalities. OBJECTIVES: Evaluate (i) the metabolic, inflammatory profile and the functional respiratory and polysomnographic changes of obese patients, referred for bariatric surgery and who have different fat distribution phenotypes (android and gynoid); and (ii) the impact of this therapeutic procedure on the possible abnormalities observed. METHODS: Consecutive patients from a private service with a BMI ≥ 40 kg/m2 or ≥ 35 kg/m2 with comorbidities associated with obesity were evaluated: (i) at baseline, through clinical examination, nutritional assessment (anthropometry), quality of life and sleepiness questionnaires, polysomnography, spirometry, dual energy X-ray absorptiometry, blood laboratory tests, such as blood count, lipid profile (total cholesterol, LDL, HDL, triglycerides), insulin profile (insulin, fasting blood glucose, homa-IR), uric acid, adipokines (ghrelin, adiponectin, TNF-α, IL-06 and IL-10), and ultrasound data of the total abdomen; and at least three months after bariatric surgery, they were reevaluated, analyzing the variables listed above. RESULTS: Baseline: the prevalence of Obstructive Sleep Apnea in this population was 76%; even in men, there was a correlation between AHI and waist-to-hip-ratio and android fat mass/ BMI. Post-surgical: there was a decrease in weight and body fat; improved quality of life and decreased sleepiness. Men had a loss of fat, both android and gynoid, greater than women, whereas women had higher adiponectin and cholesterol, and less uric acid than men. Women had lower values of IL-10 in the pre-surgical period and a tendency to lower values of TNF-α in the post compared to men. CONCLUSIONS: Bariatric and metabolic surgery led to a more marked reduction in android and gynoid fat mass in men. There was a significant reduction in Metabolic Syndrome and an increase in adiponectin in the group as a whole. However, reduction in AHI occurred more in patients with moderate and severe AHI, who were predominantly men. We can conclude that bariatric surgery brought a series of benefits to these patients regardless of the presence of sleep-disordered breathing.
INTRODUÇÃO: A obesidade grau 3 (IMC ≥ 40 kg/m2) está relacionada a diversas comorbidades que prejudicam a saúde, como a Apneia Obstrutiva do Sono,que pode gerar impacto negativo adicional na qualidade de vida por estar associada à sonolência excessiva, acidentes, morbidade cardiovascular, comprometimento cognitivo,ansiedade, depressão e disfunção metabólica. Entretanto, merecem ser avaliados como os fenótipos de distribuição de gordura nesta população afetam a Apneia Obstrutiva do Sono e o perfil metabólico inflamatório, bem como o impacto da cirurgia bariátrica sobre tais anormalidades. OBJETIVOS: Avaliar(i) o perfil metabólico, inflamatório e as alterações funcionais respiratórias e polissonográficas de pacientes obesos (as), encaminhados para cirurgia bariátrica e que apresentam diferentes fenótipos de distribuição de gordura (andróide e ginóide); e (ii) o impacto deste procedimento terapêutico nas possíveis anormalidades observadas. MÉTODOS: Foram avaliados pacientes consecutivos, de um serviço privado, com IMC ≥ 40 kg/m2 ou ≥ 35 kg/m2 portadores de comorbidades associadas à obesidade: (i) na condição basal, através do exame clínico, avaliação nutricional (antropometria), questionários de sonolência e de qualidade de vida, polissonografia, espirometria, absortiometria de raios-X de dupla energia, exames laboratoriais de sangue, como hemograma, perfil lipídico (colesterol total, LDL, HDL, treiglicérides), perfil insulínico (insulina, glicemia em jejum, homa-IR), ácido úrico, adipocinas (grelina, adiponectina, TNF-α, IL-06 e IL-10), e dados de ultrassonogia de abdome total; e (ii) no mínimo três meses após cirurgia bariátrica, foram reavaliados, analisando-se as variáveis acima relacionadas. RESULTADOS:Basais: a prevalência de Apneia Obstrutiva do Sono nesta população foi de 76%; ainda em homens, houve uma correlação entre o IAH e a RCQ e a massa gorda andróide/IMC. Pós-cirúrgicos: houve diminuição de peso e de gordura corporal; melhora da qualidade de vida e diminuição da sonolência. Os homens apresentaram uma perda de gordura, tanto andróide como ginóide, maior que a das mulheres, já as mulheres apresentaram maior adiponectina e colesterol, e menor ácido úrico que os homens. As mulheres apresentaram menores valores de IL-10 no pré-cirúrgico e tendência à menores valores de TNF-α no pós em relação aos homens. CONCLUSÕES: A cirurgia bariátrica e metabólica levou a redução mais acentuada da massa gorda andróide e ginóide nos homens. Houve redução expressiva da Síndrome Metabólica e aumento da adiponectina no grupo como um todo. Entretanto, redução do IAH ocorreu mais nos pacientes com IAH moderada e grave, que foram predominantemente homens. Podemos concluir que a cirurgia bariátrica trouxe uma série de benefícios a estes pacientes independente da presença de distúrbio respiratório do sono.
Descrição
Citação