Acurácia do teste de linguagem expressiva para identificar alterações morfossintáticas em crianças pré-escolares

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2021
Autores
Kayanoki, Fabiana Yumi Sato [UNIFESP]
Orientadores
Puglisi, Marina Leite [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: The evaluation of preschool children's grammatical aspects is essential to identify the areas of major language impairments, in addition to often directing the speech rehabilitation of these children. Thus, it is necessary to develop simple, specific protocols and with reference standards. In Brazil, however, there are few instruments used to assess preschool children using statistical and psychometric analyses, especially with regard to validation in protocols in speech therapy practice. Objective: To validate, compare forms of analysis of the grammatical modality and verify the diagnostic accuracy of the Expressive Language Test (ELT) to identify children with low language performance. Methods: The ELT is an instrument created to assess the grammatical skills of preschoolers and was applied in 618 children aged 3 years and 6 months to 6 years and 1 month enrolled in Years I or II of Municipal Schools of Early Childhood Education in São Caetano do Sul. Children were individually evaluated and encouraged to describe the content of 12 scenes, based on guide questions (picture-elicited language samples). Three objective forms of grammatical analysis of responses were proposed, in which only the sentences pertinent to the content of the test figures were analyzed, pondering the obligatory context of the scenes: 1) Mean Length Utterances – words (MLU-w): mean number of words produced in a sentence; 2) Length Utterances (LU): sum of number of words produced in a sentence e 3) Percentage Grammatical Utterances (PGU): ratio of the number of grammatically correct sentences to the total number of sentences produced in the test. Then, the MLU-w_II and LU_II were computed again, but considering the entire production of the child (both the pertinent sentences and those that extrapolated the content of the figures) for all utterances produced in each item in order to verify whether these measures would also assess the child's complete response. All forms were computed and tested for construct validity by Confirmatory Factor Analysis and only those with the most fitting indicators were considered to test the accuracy. To investigate whether the TLE is sensitive to identify children with Language Disorder (LD), the vocabulary, receptive grammar and phonological working memory tests were considered as the gold standard. And the accuracy of the ELT was assessed using the ROC Curve and the sensitivity and specificity values. Results: The LU, MLU-w and PEG analyzes were considered valid to assess the grammatical skills of children. However, EME-p_II and EE_II did not show indexes of adequacy as robust as the previous ones and therefore were not validated for the ELT. In addition, the test showed 66% Positive Predictive Value (probability of a child presenting a positive result and LD) and 67% Negative Predictive Value (probability of a child presenting a negative result and not LD) for the diagnosis of LD in preschoolers. Conclusions: LU and PEG are the two recommended measures for grammatical analysis for ELT. The cutoff point of the ROC curve -0.429 showed the best prognostic accuracy for the test with a sensitivity of 70.4% and specificity of 66.6%.
Introdução: A avaliação dos aspectos gramaticais de pré-escolares torna-se essencial na identificação das áreas de maior prejuízo da linguagem, além de muitas vezes direcionar a reabilitação fonoaudiológica dessas crianças. Para isso, faz-se necessária a elaboração de protocolos simples, específicos e com normas de referência. No Brasil, contudo, há uma escassez significativa de instrumentos acessíveis para a avaliação de pré-escolares que utilizam das análises estatísticas e psicométricas, principalmente no que concerne à validação em protocolos na prática fonoaudiológica. Objetivo: Validar, comparar formas de análise da modalidade gramatical e verificar a acurácia do Teste de Linguagem Expressiva (TLE) para identificar as crianças com baixo desempenho em linguagem. Métodos: O TLE é um instrumento que avalia as habilidades gramaticais de pré-escolares e foi aplicado em 618 crianças de 3 anos e 6 meses a 6 anos e 1 mês dos Anos I ou II de Escolas Municipais de Educação Infantil de São Caetano do Sul. As crianças foram avaliadas individualmente e incentivadas a descrever o conteúdo de 12 cenas, a partir de perguntas-guia. Foram propostas três formas objetivas de análise gramatical das respostas, em que foram selecionadas somente as orações produzidas pertinentes ao conteúdo das figuras do teste, ponderando o contexto obrigatório das cenas: 1) Extensão Média de Enunciados em palavras (EME-p): média do número de palavras produzidas em cada enunciado; 2) Extensão de Enunciados (EE): soma do número de palavras produzidas em cada enunciado; e 3) Porcentagem de Enunciados Gramaticais (PEG): razão entre a quantidade de sentenças corretas gramaticalmente e quantidade total de sentenças produzidas no teste. Em seguida, foram computadas novamente a EME-p_II e a EE_II considerando toda a produção da criança (tanto os trechos pertinentes quanto os que extrapolavam o conteúdo das figuras), para todos os enunciados produzidos em cada item, a fim de verificar se estas medidas configurariam bons indicadores das habilidades linguísticas da criança. Todas as medidas foram computadas e testadas quanto à validade de construto por meio da Análise Confirmatória Fatorial e somente aquelas com melhores indicadores fizeram parte da medida para se testar a acurácia. Para investigar se o TLE é sensível para identificar crianças com Transtorno de Linguagem (TL), foram consideradas as provas de vocabulário, gramática receptiva e memória operacional fonológica como padrão-ouro. E a acurácia do TLE foi avaliada a partir da Curva ROC e dos valores de sensibilidade e especificidade. Resultados: As formas de análise EE, EME-p e PEG foram consideradas válidas do ponto de vista psicométrico para avaliar as habilidades gramaticais das crianças. Contudo, as medidas EME-p_II e a EE_II não apresentaram indicadores tão robustos quanto às anteriores e, portanto, não foram selecionadas para o TLE. Ademais, o teste apresentou 66% de Valor Preditivo Positivo (probabilidade de uma criança apresentar resultado positivo e diagnóstico de TL) e 67% Valor Preditivo Negativo (probabilidade de uma criança apresentar resultado negativo e não TL) para o diagnóstico de TL em pré-escolares. Conclusões: A EE e a PEG são as duas medidas recomendadas para a análise gramatical para o TLE. O ponto de corte da curva ROC -0.429 mostrou a melhor acurácia prognóstica para o teste com sensibilidade de 70,4% e especificidade de 66,6%.
Descrição
Citação