Vamos pegar uma tela? A cinefilia na cidade de São Paulo (1940-1966)

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2017
Autores
Barbosa, Diego Ramos [UNIFESP]
Orientadores
Villaça, Mariana Martins [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
The phenomenon known as cinephilia has began in 1940 in São Paulo, with the creation of the Cine Club of Philosophy School of the University of São Paulo, founded by Paulo Emílio Sales Gomes. It has been present in the life of the city since then, due to the contextualization of the establishment of cinema, an increase in the number of cinema theaters, and the appearance of several producers and cultural institutions. The aim of this work is to follow the development of such phenomenon in the years of 1940, 1950 and 1960 with a focus on the urban spaces that were used, as they were key to the perpetuation and propagation of the cinema in the city. The work of the Friends of the Cinematheque Society and the group of cinema buff, formed by the students Rogério Sganzerla, Andrea Tonacci and some other students of the Cinema School of the School of Economics of São Luís (ESC) was used as guidance. To better illustrate and contextualize the discussion presented here, the last part of the study provides an analysis of the short film Documentário (1966) by Sganzerla, which shows the integration of the city, cinemas theaters and cinephilia.
A cinefilia na cidade de São Paulo é um fenômeno que passa a se organizar a partir de 1940, com a criação do Cine Clube da Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo, fundado por Paulo Emílio Sales Gomes. Partindo da contextualização do cinema na capital paulista, o crescimento de números de salas de cinema, o advento das produtoras e das instituições culturais. A partir desse ponto acompanhamos os desdobramentos da cinefilia ao longo das décadas de 1940, 1950 e 1960, priorizando os espaços urbanos que foram palcos do movimento, ressaltando a importância desse grupo para a manutenção e difusão cinematográfica na cidade. Dessa forma, toma-se como norteador, a Sociedade Amigos da Cinemateca e o grupo de cinéfilos, formado pelos então estudantes Rogério Sganzerla, Andrea Tonacci e alguns outros alunos da Escola Superior de Cinema da Faculdade de Economia São Luís – ESC. A monografia é finalizada com a análise do curta-metragem Documentário, de 1966, dirigido por Sganzerla, filme que possibilita o diálogo entre a cidade, as salas de cinema e a cinefilia.
Descrição
Citação
BARBOSA, Diego Ramos. Vamos pegar uma tela? A cinefilia na cidade de São Paulo (1940- 1966). Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em História) – Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2017.
Coleções