Caçando Feras em aruanã pela "alma" do Brasil: Líbero Luxardo e as imagens do Pantanal (1930-1940)

Imagem de Miniatura
Data
2023-02-14
Autores
Costa, Diego Maia da [UNIFESP]
Orientadores
Toledo, Edilene Teresinha [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
O trabalho empreende um exame crítico da obra cinematográfica confeccionada por Líbero Luxardo entre 1930 e 1940 no estado do Mato Grosso. Duas hipóteses tangenciam a dissertação. A primeira é de que as produções ficcionais inaugurais do cineasta de origem paulista radicado no Pantanal brasileiro - Alma do Brasil (1932), Caçando Feras (1936) e Aruanã (1938) – estavam acordes com as reverberações políticas da Era Vargas, período marcado pela eclosão e afirmação de um regime autoritário que buscou, sob múltiplas formas, a legitimação de sua ideologia nacionalista. A segunda hipótese, visualizada a partir do plano cultural, é de que os três filmes supracitados se relacionaram intimamente com uma corrente do movimento modernista brasileiro, o verdeamarelismo. A valoração cintilante do exotismo sertanejo do “Brasil desconhecido” e a busca incessante pelas raízes autênticas da nação ganharam contornos de protagonista nas projeções fílmicas divulgadas por Líbero Luxardo durante a segunda metade da década de 1930.
This work makes a critical examination of the cinematographic work produced by Libero Luxardo between 1930 and 1940 in the state of Mato Grosso (Brazil). Two hypotheses cross the dissertation. The first is that the first fictional production of this filmmaker from São Paulo and based in the Brazilian Pantanal - Alma do Brasil (1932), Caçando Feras (1936) and Aruanã (1938) - were in tune with the political reverberations of the Vargas Era, a period marked by the outbreak of and the affirmation of an authoritarian regime that sought, in various ways, to legitimize its nationalist ideology. The second hypothesis, seen from the cultural point of view, is that the three mentioned films are closely related to a line of the Brazilian modernist movement: the yellow-green. The effervescent appreciation for the rural exoticism of an "unknown Brazil" and the search for the nation's authentic roots gained protagonism contours in the cinematographic projections launched by Líbero Luxardo in the mid-1930s.
Descrição
Citação
COSTA, Diego Maia da. Caçando Feras em aruanã pela "alma" do Brasil: Líbero Luxardo e as imagens do Pantanal (1930-1940). 2023. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos, 2023.
Coleções