PPG - Biologia Estrutural e Funcional

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 5 de 249
  • Item
    Estudo da expressão e metilação dos genes NRN1, TNFAIP3 E LRRC37A2 no câncer gástrico
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-04-19) Santos, Leonardo Caires [UNIFESP]; Smith, Marília de Arruda Cardoso [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/5761924688385176; http://lattes.cnpq.br/1932895317366751
    O câncer gástrico (CG) tem elevada incidência e mortalidade no mundo. Estudos dos mecanismos epigenéticos em cancer têm sido realizados com frequência para um melhor entendimento da regulação da expressão gênica e para a identificação de novos biomarcadores. Foi feita uma análise de array de expressão gênica em linhagens de câncer gástrico tratadas e não tratadas com 5-azacitidina, onde encontramos 83 genes que são potencialmente modulados por metilação de DNA em linhagens celulare CG. Nós selecionamos os genes NRN1, TNFAIP3 e LRRC37A2 para serem avaliados quanto a sua expressão e metilação em tecidos gástricos tumorais e não tumorais adjacentes. O aumento da expressão de NRN1 e TNFAIP3 foi associado aos tumores avançados. Observou-se aumento da expressão de NRN1 e TNFAIP3 assossiado a menores níveis de metilação na região promotora. Redução da metilação na região promotora de NRN1 foi associada aos estágios avançados do tumor e presença de infecção por Helicobacter pylori. A diminuição da expressão de LRRC37A2 e aumento de metilação em regiões específicas do seu promotor estão associadas ao pior prognóstico. Esses resultados sugerem que alguns genes podem ser utilizados na prática clínica para estratificar pacientes que estão mais propícios a se beneficiarem por terapias epigenéticas.
  • Item
    Efeito antiapoptótico e antissenescência do açaí liofilizado (Euterpe Oleracea Martius) sobre as células germinativas masculinas
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-04-15) Mumcu, Merve [UNIFESP]; Vilela, Vanessa Vendramini [UNIFESP]; Gomes, Ana Clara da Costa Nunes [UNIFESP]; https://lattes.cnpq.br/3419372674559999; https://lattes.cnpq.br/7430244790148504; https://lattes.cnpq.br/1795670842574045
    O açaí (Euterpe oleracea Mart.) possui inúmeras propriedades benéficas à saúde e vem sendo utilizado no tratamento de enfermidades ligadas à síndrome metabólica e ao envelhecimento. O modelo experimental de indução à senescência, utilizando o tratamento de roedores com D-galactose, apresenta características indicativas de comprometimento cognitivo, motor e reprodutivo muito semelhantes àquelas observadas no envelhecimento natural em roedores e tem potencial para mimetizar o perfil de danos que caracterizam a idade paterna avançada. O presente estudo buscou verificar se o açaí protege a integridade da cromatina das células germinativas masculinas, por meio da modulação da expressão de da SIRT1 e ação anti-apoptótica, sob indução à senescência pela D-galactose por 4 semanas de tratamento. Ratos machos (n=24) foram subdivididos em 4 grupos: o grupo DG foi submetido ao tratamento com D-galactose em doses diárias de 200mg/kg de peso corpóreo, por 4 semanas; o grupo DGA recebeu, além do tratamento com a D-galactose, suplementação com 200mg/kg de açaí liofilizado diluído em água destilada, 5 vezes por semana; o grupo controle (C) e açaí (A) receberam, respectivamente, água destilada e açaí. Após os tratamentos, todos os animais foram anestesiados e os órgãos reprodutivos foram coletados e pesados. O tecido testicular foi processado para a quantificação de SIRT1, receptor de leptina, BAX e BCL-2. A quantificação das células germinativas apoptóticas e da qualidade da cromatina dos espermatozóides armazenados na cauda do epidídimo foram verificadas. O monosacarídio D-galactose apresentou acentuado aumento no número de células TUNEL-positivas e redução na qualidade da cromatina, o que foi significantemente revertido pelo açaí. Entretanto a expressão da receptor de leptina, BAX e BCL-2 testiculares, bem como a protaminação do DNA espermático, não apresentaram significância estatística, mas indicaram tendência de alteração para o grupo envelhecido (DG). Nas condições experimentais aqui propostas, a ação antienvelhecimento do açaí, via ativação de SIRT1, apresentou-se como uma tendência, porém, não foi detectada significância estatística quando o grupo suplementado com açaí (DGA) foi comparado ao grupo envelhecido (DG). Os resultados sugerem que o açaí apresenta efeito anti-apoptótico e protetor da qualidade genômica das células germinativas, provavelmente por via de ativação da SIRT1.
  • Item
    Efeito da melatonina sobre o perfil de miRNA de espermatozoides, regiões do cérebro e cerebelo de ratos Wistar
    (Universidade Federal de São Paulo, 0015-04-24) Nascimento, Mísia Helena da Silva Ferro [UNIFESP]; Teixeira, Taiza Stumpp [UNIFESP]; Amaral, Fernanda Gaspar [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/6398402888086154; http://lattes.cnpq.br/1024329256080770
    Introdução: A melatonina é sintetizada exclusivamente à noite, em diversos organismos. Nos mamíferos, a melatonina se origina nos pinealócitos presentes na glândula pineal. Dentre várias funções associadas a melatonina, a ação e influência do hormônio na espermatogênese é de particular interesse porque os gametas transferem não apenas informações genéticas, mas também epigenéticas para o embrião. Sabe-se que o espermatozoide é rico em miRNAs, que são transferidos para o embrião e podem configurar os mecanismos de herança epigenética paterna. Objetivo: investigar a influência da melatonina afeta a expressão de miRNA nos espermatozoides, regiões do cérebro e cerebelo de ratos. Metodologia: Esse estudo compreendeu três grupos experimentais: PINX, PINX MEL e controle. O primeiro consiste em animais que sofreram remoção da glândula pineal. O grupo PINX MEL foi composto por animais pinealectomizados que tiveram suplementação de melatonina. O grupo controle não sofreu manipulação. Os miRNAs foram extraídos dos espermatozoides, hipotálamo, córtex pré-frontal e cerebelo para análise de sua expressão por RT-qPCR. Foram analisados 8 miRNAs-alvos: miR-18a-5p, miR-34a-5p, miR-106b-5p, miR-132-5p, miR-195-5p, miR-219a-5p, miR-182-5p e Let-7g-5p. Foi realizada também análise de bioinformática buscando compreender as possíveis implicações biológicas das alterações da expressão dos miRNAs analisados. Resultados: Os animais pinealectomizados apresentaram redução da expressão de todos os miRNAs avaliados nos espermatozoides e de alguns desses miRNAs no cérebro e cerebelo. A administração da melatonina exógena levou à restauração da expressão desses miRNAs nos espermatozoides e também em algumas regiões do cérebro. A análise bioinformática indicou que todos os miRNAs analisados estão envolvidos em processos biológicos relacionados a neurogênese, sinapses e ao comportamento. Conclusão: O presente estudo sugere que a deficiência de melatonina afeta de forma significativa a expressão de miRNAs relacionados ao neurodesenvolvimento e à neurofisiologia em espermatozoides de ratos pinealectomizados. Estudos futuros são de grande valia a fim de esclarecer quais os significados biológicos dessas alterações para os animais pinealectomizados e se elas podem ter impacto para sua prole.
  • Item
    Efeitos da carbamazepina sobre espermatozoides epididimários e a capacidade reprodutiva de ratos adultos e possíveis impactos sobre o desenvolvimento reprodutivo da prole (geração F1)
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-01-15) Santos, Marina Nunes dos [UNIFESP]; Oliva, Samara Urban [UNIFESP]; Miraglia, Sandra Maria [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/7489168456011888; http://lattes.cnpq.br/5886968082690915; http://lattes.cnpq.br/7075826792106019
    INTRODUÇÃO: A carbamazepina (CBZ) é um fármaco amplamente utilizado no controle de convulsões, no tratamento da neuralgia do trigêmeo e de desordens afetivas. Alterações nas características seminais, nos níveis de hormônios sexuais, na espermatogênese e na fertilidade masculina têm sido observadas durante e após tratamentos prolongados com CBZ. Apesar da falta de estudos que evidenciem a ação desse medicamento sobre o epidídimo e o processo de maturação espermática, é importante considerar possíveis efeitos diretos da CBZ nos espermatozoides epididimários, dada sua alta lipossolubilidade. OBJETIVOS: Portanto, este estudo teve como objetivos investigar: a) a possível ação direta da CBZ sobre parâmetros quantitativos, qualitativos e funcionais dos espermatozoides epididimários em ratos adultos; b) os efeitos da CBZ em ratos machos tratados desde a pré-puberdade até a fase adulta sobre o desenvolvimento da genitália externa, qualidade espermática, comportamento sexual e capacidade reprodutiva; c) a possível ocorrência de malformações congênitas na prole de ratos machos tratados com CBZ; d) os efeitos sobre a reprodução masculina em ratos da geração F1. RESULTADOS: Até o momento, nossos resultados indicam impactos substanciais na qualidade espermática e na saúde reprodutiva masculina tanto na exposição aguda quanto na crônica à CBZ. Os espermatozoides epididimários apresentaram uma série de alterações significativas, incluindo redução na motilidade progressiva, deterioração na integridade da cromatina, fragmentação do DNA nuclear e alterações morfológicas, particularmente nas regiões da cabeça e cauda do espermatozoide. Além disso, é importante destacar que, apesar de não terem sido observadas alterações no comportamento sexual dos animais tratados cronicamente com CBZ, foram identificadas alterações placentárias significativas em animais submetidos a essa exposição crônica. Adicionalmente, observou-se a ocorrência de alterações esqueléticas na prole desses animais. CONCLUSÕES: As alterações espermáticas quantitativas e qualitativas observadas em diferentes protocolos de tratamento, níveis de dosagem de CBZ e em grupos etários enfatizam os efeitos multifacetados da CBZ na espermatogênese e maturação espermática.
  • Item
    Modificações do osso subcondral após a terapia com ondas de choque em ratas sob privação estrogênica
    (Universidade Federal de São Paulo, 2023-12-18) Rodrigues, Isabela Capucho [UNIFESP]; Reginato, Rejane Daniele [UNIFESP]; Mierzwa, Aline Gomes Hidalgo [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/4700689929330934; http://lattes.cnpq.br/1463941326137952; http://lattes.cnpq.br/2025884418554514
    Objetivo: Investigar os efeitos da terapia com ondas de choque (ESWT) no osso subcondral de ratas sob privação estrogênica, correlacionando com o grau de osteoartrite. Métodos: Foram utilizadas 30 ratas Wistar adultas (6 meses) ooforectomizadas (OVX) ou Sham-operadas (Sham), que foram divididas em 4 grupos: Sham e OVX: não receberam terapia; Sham+SW e OVX+SW: submetidos à ESWT (única sessão - 500 pulsos - 0,13 mJ/mm2/pulso). A densidade mineral óssea (DMO) foi avaliada no dia da OVX (T0), três meses após a cirurgia (T1) e ao final do experimento (T2), por densitometria óssea. Os animais foram submetidos à eutanásia aos 13 meses de idade e os fêmures foram coletados. Foram realizadas análises hitomorfométicas para avaliação do volume ósseo subcondral, técnica de TRAP (Tartrate Resistant Acid Phosphatase) para quantificação e classificação de osteoclastos, histoquímica de picrosirius para análise das fibras colágenas e imunoistoquímicas para a expressão de TNF-α, caspase-3 clivada, Anexina A1 (AnxA1), Fpr1 e Fpr2. Análises de bioinformática foram realizadas utilizando dados de transcriptomas disponibilizados publicamente. As análises estatísticas foram ANOVA, ANOVA medidas repetidas, Teste T, Teste Exato de Fisher e Correlação de Pearson. Resultados: Diminuição de DMO foi observada nos animais ooforectomizados 3 meses após a cirurgia (T1). Em T2, Sham e Sham+SW apresentaram maior DMO e maior volume ósseo subcondral que OVX, e ambos os grupos apresentaram aumento de DMO ao longo do experimento (T0 vs. T1 e T0 vs. T2). O volume ósseo subcondral e a DMO foram negativamente correlacionados com o grau de osteoartrite, porém foi observada correlação positiva entre esses dois parâmetros. Sham+SW apresentou maior número de osteoclastos e, tanto Sham+SW quanto OVX+SW apresentaram maior superfície de reabsorção que Sham. A maior porcentagem de osteoclastos inativos foi observada em Sham, e houve similaridade na porcentagem de osteoclastos mononucleados e multinucleados entre os grupos. Sham+SW e OVX+SW exibiram maior birrefringência esverdeada. Houve diminuição de osteócitos positivos para TNF-α no osso subcondral no grupo OVX+SW. Além disso, Sham, Sham+SW e OVX+SW apresentaram menos osteócitos positivos para caspase-3, comparados ao OVX. A maior porcentagem de osteócitos positivos para AnxA1 foi observada em OVX+SW, e OVX foi maior do que Sham. Os grupos Sham+SW e OVX apresentaram maior porcentagem de osteócitos positivos para Fpr1 que Sham, e maior quantidade de Fpr1 do que Fpr2. As análises de transcriptomas demonstraram maior expressão de Fpr2 em vértebras de camundongos fêmeas OVX, e maior expressão de Fpr1 no osso acetabular de mulheres com idade de 43 a 80 anos. Conclusão: A ESWT provocou mudanças no osso subcondral compatíveis com o mecanismo de remodelação óssea em ratas OVX. Essas modificações foram mais pronunciadas quando não houve a privação estrogênica, com aumento na quantidade de osteoclastos, na superfície de reabsorção e na deposição de novas fibras colágenas, além da diminuição da morte de osteócitos e do aumento da expressão de Fpr1. No entanto, mesmo na ausência do hormônio, a terapia acelerou a remodelação óssea subcondral, evidenciada pela organização do colágeno, aumento da superfície de reabsorção, diminuindo TNF-α e a morte de osteócitos, aumentando AnxA1 e prevenindo a perda de DMO e volume ósseo subcondral. Além disso, o presente estudo demonstrou que a cirurgia de OVX está relacionada ao aumento de AnxA1 no osso subcondral e que o receptor Fpr1 está presente em maior quantidade neste tecido. Sendo assim, nossos resultados demonstraram o grande potencial da ESWT no tratamento da osteoartrite.