Praxiografia da doação de órgãos: a multiplicidade da prática médica

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2020-02-07
Autores
Posses, Isabela Pellacani Pereira Das [UNIFESP]
Orientadores
Pereira, Pedro Paulo Gomes [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Esta tese é uma praxiografia de uma prática médica, a doação de órgãos. Com base em um trabalho de campo realizado no Hospital X, hospital geral de alta complexidade da cidade de São Paulo, apresentamos como a doação de órgãos é performada (enacted). Um folheto informativo para a população pode descrever a doação de órgãos como um ato altruísta, que salva vidas, mas na prática hospitalar essa única ação parece ser muitas outras. Dentro do Hospital X, de um setor, de uma máquina, um exame, conhecimentos e pessoas ao seguinte, uma doação de órgãos diferente está sendo discutida, manipulada e observada. Por isso admitimos que a realidade é múltipla e se faz existir por meio das práticas de diversos agentes e das materialidades que eles movem, como sugerido por Annemarie Mol, filósofa e etnógrafa holandesa, cujas teorias nos beneficiaram para o desenvolvimento deste trabalho. No entanto, diferentemente da doença estudada por ela, estudamos a própria prática médica, tendo em vista que a doação de órgãos se trata de rotina médica, um ato, cuja temporalidade permite uma terapêutica, o transplante. Nesta tese, além de se revelarem as diferentes versões dessa prática, foi possível observar também como elas se distribuíam e se coordenavam para configurar não só o que é a própria doação de órgãos, mas, também, como os pontos de conflito ocorriam, ocasionalmente, no encontro das diversas maneiras de fazer a doação.
This thesis is the praxiography of a medical practice, organ donation. Based on fieldwork carried out at Hospital X, a highly complex general hospital in the city of São Paulo, we present how organ donation is performed (enacted). An information leaflet for the population may describe organ donation as a selfless, life-saving act, but in hospital practice this one action seems to be many others. Inside Hospital X, a sector, a machine, an exam, knowledge, people, the next, a different organ donation is being discussed, manipulated, observed. Therefore we admit that reality is multiple and is made possible through the practices of various agents and the materialities they move as suggested by Annemarie Mol, a Dutch philosopher and ethnographer from whom we benefit from theories for the development of this work. However, unlike the disease studied by her, we study the medical practice itself, considering that organ donation is a medical routine, an act whose temporality allows a therapy, transplantation. In this thesis, besides revealing the different versions of this practice, it was also possible to observe how they were distributed and coordinated to configure not only what is the organ donation itself, but also, as the points of conflict occurred, occasionally in the meeting the various ways to make the donation.
Esta tesis es la praxiografía de una práctica médica, la donación de órganos. Basado en el trabajo de campo realizado en el Hospital X, un hospital general de alta complejidad en la ciudad de São Paulo, presentamos cómo se realiza (del término en Inglés enacted) la donación de órganos. Un folleto informativo para la población puede describir la donación de órganos como un acto desinteresado que salva vidas, no obstante, en la práctica hospitalaria, esta acción única parece ser muchas otras. Dentro del Hospital X, desde un sector, una máquina, un examen, conocimiento y personas al siguiente, se está discutiendo, manipulando, observando una donación de órganos distinta. Por lo tanto, admitimos que la realidad es múltiple y es posible gracias a las prácticas de varios agentes y las materialidades que estos mueven, como lo sugiere Annemarie Mol, una filósofa y etnógrafa holandesa de quien nos beneficiamos de las teorías para el desarrollo de este trabajo. Sin embargo, a diferencia de la enfermedad estudiada por ella, estudiamos la práctica médica en sí misma, considerando que la donación de órganos es una rutina médica, un acto cuya temporalidad permite una terapia, un trasplante. En esta tesis, además de revelar las diferentes versiones de esta práctica, también fue posible observar cómo ellas se distribuyeron y se coordinaron para configurar no solo lo qué es la donación de órganos en sí, sino, también, de que manera ocurrían los puntos de conflicto, ocasionalmente, en el cruce de las diferentes formas de hacer la donación.
Descrição
Citação
Praxiografia da doação de órgãos: a multiplicidade da prática médica