Perfil metabólico e ganho de peso corporal de pacientes pós transplante renal acompanhados por 12 meses no hospital do rim e hipertensão da UNIFESP

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2015-11-30
Autores
Monteiro, Priscilla Amaral [UNIFESP]
Orientadores
Cunha, Tatiana de Sousa da [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Atualmente, a doença renal crônica (DRC) é considerada um problema de saúde pública mundial. No Brasil, a incidência e a prevalência de falência funcional renal (FFR) estão aumentando, o prognóstico ainda é ruim e os custos do tratamento da doença são altíssimos. Desde então, há interesse crescente nos principais aspectos relacionados à epidemiologia e a avaliação metabólica por doença renal crônica após o tratamento de substituição, necessário quando a doença atinge o estágio terminal. O transplante renal proporciona uma melhor qualidade de vida ao paciente renal crônico, permitindo que não haja mais a dependência do equipamento de hemodiálise. A síndrome metabólica muitas vezes está presente após o transplante e é provável que se torne pior devido ganho de peso que também pode aumentar o risco de deterioração da função renal. Este foi um estudo longitudinal, observacional e prospectivo, com indivíduos submetidos a transplante de rim com doador vivo ou falecido. Foram considerados elegíveis todos os pacientes acima de 18 anos que foram transplantados entre março de 2012 a abril de 2013. Os dados são apresentados como variáveis numéricas, na forma de média e desvio padrão. Para análise estatística foi utilizado o teste t de Student (distribuição normal) e Mann- Witnhey (distribuição não? normal). Os pacientes apresentaram um discreto aumento de peso após 12 meses do transplante em todos os grupos estudados. Em conclusão observamos neste estudo maior incidência de sobrepeso na população acima de 51 anos e melhora nos níveis pressóricos em toda a população estudada pós-transplante.
Currently, chronic kidney disease (CKD) is considered a public health problem worldwide. In Brazil, the incidence and prevalence of renal functional failure are increasing, the prognosis is still bad and the disease treatment costs are very high. Since then, there is growing interest in key aspects related to epidemiology and metabolic evaluation by chronic kidney disease after substitution treatment is necessary when the disease reaches the terminal stage. The kidney transplant provides a better quality of life for the chronic renal patient, allowing no more hemodialysis equipment dependence. Metabolic syndrome is often present after transplantation, and is likely to become worse because weight gain which may also increase the risk of deterioration of renal function. This was a longitudinal, observational and prospective study with patients undergoing kidney transplantation with living donor or deceased. They were eligible all patients older than 18 who were transplanted from March 2012 to April 2013. The data are presented as numerical variables as mean and standard deviation. Statistical analysis was performed using Student's t-test (normal distribution) and Mann Witnhey (non-normal distribution). Patients showed a slight increase in weight after 12 months of transplantation in all groups. In conclusion we observed a higher incidence of overweight and metabolic abnormalities such as glucose, total cholesterol in the population of 51 years and more improvement in blood pressure levels in the population studied post-transplant. In conclusion we observed in this study higher incidence of overweight in the population over 51 years and improvement in blood pressure levels in the population studied post-transplant.
Descrição
Citação
MONTEIRO, Priscilla Amaral. Perfil metabólico e ganho de peso corporal de pacientes pós transplante renal acompanhados por 12 meses no hospital do rim e hipertensão da UNIFESP. 2015. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2015.