Avaliação do efeito fotoprotetor sistêmico à radiação ultravioleta B pelo consumo regular de licopeno sintético ou in natura: estudo comparativo e randomizado

Avaliação do efeito fotoprotetor sistêmico à radiação ultravioleta B pelo consumo regular de licopeno sintético ou in natura: estudo comparativo e randomizado

Alternative title Evaluation of systemic photoprotection against ultraviolet B radiation through regular consumption of synthetic or in natura lycopene: comparative and randomized study
Author Sokoloski, Lethicia Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Bagatin, Edileia Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Medicina Translacional
Abstract Fundamentos: os carotenoides sao agentes que contribuem para a fotoprotecao endogena. O licopeno, o mais potente dos carotenoides, e encontrado em alimentos, como o tomate. Objetivo: comparar o efeito fotoprotetor do licopeno sintetico (em capsulas) ao in natura (pasta de tomate). Material e Metodo: estudo de intervencao terapeutica, randomizado e comparativo, com duracao de 10 semanas e inclusao de 21 sujeitos de pesquisa, 11 no grupo capsula e 10 no grupo pasta de tomate. Para avaliar o efeito fotoprotetor, foram realizadas dosagens de licopeno serico pelo metodo de cromatografia liquida de alta resolucao e colorimetria antes e apos 24 h. da irradiacao da pele com simulador de radiacao ultravioleta B, para medir a variacao da cor a (ponto maximo do eritema apos 24 horas da irradiacao, comparada a pele normal). As avaliacoes foram realizadas no inicio e apos 4, 8 e 10 semanas. Os dados foram analisados por ANOVA com medidas repetidas. Resultados: tres sujeitos abandonaram o estudo apos 4 semanas. As dosagens de licopeno serico apresentaram grande variabilidade, impossibilitando analise estatistica. No grupo capsula variaram entre 0,15Lmol a 0,55 Lmol antes do tratamento e, apos 10 semanas, entre 0,20 Lmol a 0,73 Lmol e no grupo pasta de tomate variaram entre 0,2 Lmol a 0,5 Lmol antes do tratamento e, apos 10 semanas, entre 0,25 Lmol a 0,42 Lmol. Nao foi possivel visualizar clinicamente alteracao da dose eritematosa minima em todas as avaliacoes, nos dois grupos. Foi avaliada a cor a pela colorimetria na pele nao irradiada e 24 h. apos a irradiacao, antes e apos o tratamento. Observou-se reducao do a apos 10 semanas, nos dois grupos, com diferenca marginalmente significativa em relacao ao tempo (p=0,054) e ao grupo (p=0,066), favoravel a capsula. Conclusao: o consumo regular de licopeno, em capsula ou in natura, demonstrou tendencia favoravel a fotoprotecao sistemica, o que indica a utilidade de estimular a sua utilizacao atraves de fontes naturais ou sinteticas
Keywords Humanos
Carotenoides
Lycopersicon esculentum
Fator de Proteção Solar
Humanos
Language Portuguese
Sponsor Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Date 2013
Published in São Paulo: [s.n.], 2013. 84 p.
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 84 p.
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22847

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account