Terapia ultra-sônica oclusora percutânea das varizes telangiectasias dos membros inferiores: ensaio clínico aleatório

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2004
Autores
Araujo, Marcelo [UNIFESP]
Orientadores
Baptista-Silva, José Carlos Costa [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
O tratamento de varizes de pequeno calibre e telangiectasias dos MMII, tem sido tradicionalmente realizado com uma combinacao de tecnicas que envolvem cirurgia, escleroterapia quimica e fototermolise com a utilizacao de LASER ou FLIP com sucesso variavel. Embora sejam metodos terapeuticos a demanda por estes servicos tem, na maioria das vezes, interesse estetico. Reacoes adversas com complicacoes como pigmentacao, desconforto local e ate neoformacao vascular nao sao incomuns tanto com a escleroterapia quimica quanto com o LASER/FLIP. Radiofrequencia e ultra-som sao metodos fisicos a serem investigados. A possibilidade de utilizar o ultra-som de baixa intensidade, um metodo fisico bastante conhecido, mas ate entao nao empregado com este proposito, encontra-se embasado em estudos experimentais e clinicos que relatam bioefeitos sobre o sistema vascular. Objetivo: promover a melhora estetica das telangiectasias e varizes dos MMII pelo processo de oclusao fisica com ultra-som de baixa intensidade. Metodos: Tipo de estudo - ensaio clinico aleatorio, duplo-cego com seguimento entre 28 e 40 dias. Local - clinica especializada privada Med Angio, Itabuna, Bahia. Amostra - 58 pacientes do sexo feminino, portadoras de varizes, classificacao CEAP (C1-4asEpAsdpPr) e Duffy 1, 1 A, 2 e 3, selecionadas foram sorteadas aleatoriamente e alocadas 29 no grupo `tratado' e 29 no `controle'. Foram excluidas as portadoras de doenca mental, gestantes, menores de 21 e maiores de 70 anos, portadoras de linfopatia, usuarias de hormonios flebotropicos, anti-agragantes plaquetarios e anticoagulantes. Procedimento -apos a obtencao do consentimento esclarecido as pacientes foram submetidas a exposicao do ultra-som no modo pulsado, na frequencia de 3MHz e 3W/cm2 por um periodo de 2 minutos. O grupo controle foi submetido ao mesmo manuseio, com o aparelho ligado, entretanto com a saida acustica ajustada para zero, portanto sem emissao do ultra-som. Foram feitas fotografias antes da aplicacao e apos um periodo de 28 a 40 dias procurando-se manter os ajustes da camera mais adequados a cada caso. As imagens foram avaliadas por dois examinadores independentes sendo utilizados criterios estritamente qualitativos na comparacao dos grupos codificando como piora, inalterado ou melhora da aparencia estetica da areaa(au)
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2004. 103 p.