O cálculo mental para ensinar: uma análise dos trabalhos elaborados por Maria do Carmo Santos Domite, 1980-1995

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2020-12-14
Autores
Conceicao, Antonio Robert Chagas [UNIFESP]
Orientadores
Morais, Rosilda Dos Santos [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
This research is linked to thematic project A MATEMÁTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES E NO ENSINO: processos e dinâmicas de produção de um saber profissional, 1890-1990, and the purpose of this research is to analyse the mental calculus systematized by Maria do Carmo Santos Domite for the teacher training in the period from 1980 to 1995. Thus, the initial point of the time frame is the year that Domite started working at the São Paulo Municipal Education Secretariat and its limit refers to the year of publication of the last file regarding the mental calculus analyzed in this research. The primary sources of this research were the Memorial Acadêmico by Maria do Carmo Domite; Curso de Matemática por correspondência (1988); the article Cálculo mental (1989); and the text Cálculo Mental (1995). The analysis of the sources was guided by theoretical contribution that consider the professional knowledge of the teacher as a central theme of training and teaching, like Hofstetter, Schneuwly e Freymond (2017), Hofstetter e Schneuwly (2017), Bertini, Morais e Valente (2017). Based on the analyzes, were identified guidelines to the teacher for the teaching of mental calculus systematized by Domite, who understood the explanation of the oral solution by the student followed by the written systematization of the adopted strategies, process, that could take place using representations involving an explanatory scheme from unconventional groupings, as adding the equals, decomposing and conveniently associating and, relating a parcel to a “round number”. Using these procedures, the development of the student's mental calculus skills was expected by the teacher and, at the same time, providing the contact with the properties of the decimal numbering system. A theoretical elaboration of these guidelines allowed this research to characterize the mental calculus systematized by Domite as a tool for the teacher's work, that is, a mental calculus for teach the decimal numbering system in times when it was advocated in favor of teaching with understanding by concrete experiences.
Esta pesquisa está vinculada ao Projeto Temático “A Matemática na formação de professores e no ensino: processos e dinâmicas de produção de um saber profissional, 1890-1990” e teve como objetivo analisar o cálculo mental sistematizado por Maria do Carmo Santos Domite para a formação de professores no período de 1980 a 1995. Assim, considerou-se como marco inicial do recorte temporal desta pesquisa o ano em que Domite iniciou sua atuação na Secretaria de Educação Municipal de São Paulo e o seu limite se refere ao ano de publicação do último arquivo referente ao cálculo mental analisado nesta pesquisa. Entre idas e vindas a documentos de diferentes naturezas, constituíram-se em fontes primárias desta pesquisa o "Memorial Acadêmico" de Maria do Carmo Domite; “Curso de Matemática por correspondência” (1988); o artigo “Cálculo mental” (1989); e o texto “Cálculo Mental” (1995). A análise das fontes foi orientada por referências teóricas que consideram o saber profissional docente como tema central da formação e do ensino, quais sejam, Hofstetter, Schneuwly e Freymond (2017), Hofstetter e Schneuwly (2017), Bertini, Morais e Valente (2017), entre outros. A partir das análises identificou-se orientações ao professor para o ensino de cálculo mental sistematizadas por Domite, que compreendiam a explicação da solução oral pelo aluno seguida da sistematização escrita das estratégias adotadas, processo, este, que poderia se dar por meio de representações envolvendo um esquema explicativo por meio de agrupamentos não convencionais, como somando os iguais, decompondo e associando convenientemente e, relacionando uma parcela com um número redondo. Por meio dessas orientações era esperado o desenvolvimento, pelo professor, da habilidade de cálculo mental no aluno e, ao mesmo tempo, propiciando a este último contato com as propriedades do sistema de numeração decimal. Uma elaboração teórica dessas orientações permitiu a esta pesquisa caracterizar o cálculo mental sistematizado por Domite como ferramenta de trabalho do professor, isto é, um cálculo mental para ensinar o sistema de numeração decimal em tempos em que se advogava em favor de um ensino com compreensão por meio de experiencias concretas.
Descrição
Citação