Urban Wage Premium in Brazil: new evidence about informality and gender

dc.audience.educationlevelMestrado
dc.contributor.advisorAraujo, Veneziano De Castro [UNIFESP]
dc.contributor.authorAlmeida, Eloiza Regina Ferreira De [UNIFESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulopt
dc.date.accessioned2022-07-21T18:28:29Z
dc.date.available2022-07-21T18:28:29Z
dc.date.issued2020-07-07
dc.description.abstractThe urban wage premium (UWP) is the positive wage differential in dense geographical areas. Its analysis is heavily founded on the observation that, everything held constant, wages are higher in more populated areas, that is, denser places pay higher salaries. It is quite frequent, to identify the UWP using administrative registers filled by firms, restricting the analysis to male workers (even if women’s data are available) with a formal contract. This is a issue for Brazil because informal workers have non-despicable participation in the workforce. Besides, a reduced number of studies focus on analyzing and identifying female UWP. This dissertation proposes to evaluate if and when that groups of workers benefit differently from the agglomeration effects, by including the UWP estimation for informal workers and women, and by focuses on a developing country. We address this investigation by analyzing Brazilian labor market using the Continuous Brazilian National Household Sample Survey (PNADC), a comprehensive longitudinal database that covers the period from 2012 Q1 to 2019 Q3, which allows the analysis of the heterogeneity of the formality status and many other intra-group characteristics, including gender. Chapter 2 focus on male UWP and its contribution rely on closing some literature gaps and enriching the UWP assessment. The results show that previous UWP studies underestimate the UWP for the whole labor market since formal workers UWP is half of the informal ones, and both sectors show a non-homogeneous UWP according to agglomeration levels, with different patterns. An evidence that disregarding these groups of workers hides the complexity inherent of their insertion in the large urban labor markets. In its turn, Chapter 3 contributes to the traditional UWP literature by investigating a neglected group of workers—the women—and concentrating on individual characteristics such as the position at the household, the marital status, and the presence of children, besides the formality status, for which, to our knowledge, no attempt to female UWP estimation was performed. Additionally, it empirically contributes to UWP literature by estimating and correcting the sample selection bias, related to the participation in the labor market, which is particularly relevant to female workers, and by use quantile regressions to identify whether the magnitude of UWP is different throughout the distribution of wages. Therefore, the main conclusion indicates that the previous UWP results are underestimated, since female workers are neglected. Also, the UWP could be over or underestimated for women and men if the wage distribution is disregarded. We find strong evidence that the agglomeration effects do not benefits the workers equally and a higher female UWP can also be attributable to the changes in female labor market composition. Denser areas tend to be more favorable to women and informal workers.en
dc.description.abstractO prêmio de salário urbano (UWP) é o diferencial de salário positivo em áreas geográficas densas. Sua análise baseia-se na observação de que, tudo o mais constante, os salários são mais altos em áreas mais populosas. É bastante frequente identificar a UWP usando registros administrativos preenchidos por empresas, restringindo a análise aos homens (mesmo que haja dados de mulheres) em trabalhos formais. Esse é um problema para o Brasil, porque os trabalhadores informais têm uma participação desprezível na força de trabalho. Além disso, um número reduzido de estudos se concentra na análise e identificação do UWP feminino. Esta dissertação propõe avaliar se e quando esses grupos de trabalhadores se beneficiam dos efeitos da aglomeração focando em um país em desenvolvimento. Abordamos essa investigação analisando o mercado de trabalho brasileiro usando a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), um banco de dados longitudinal abrangente para o período entre 2012 (1ºTrim.) e 2019 (3ºTrim.), que permite a análise da heterogeneidade do status de formalidade e muitas outras características intragrupo, incluindo gênero. O capítulo 2 se concentra no UWP dos homens e sua contribuição se baseia no fechamento de algumas lacunas da literatura e no enriquecimento da avaliação da UWP. Os resultados mostram que estudos anteriores subestimam o UWP para todo o mercado de trabalho, uma vez que o UWP dos trabalhadores formais é a metade dos informais, e os dois setores mostram um UWP não-homogêneo entre os níveis de aglomeração, com diferentes padrões. Uma evidência de que desconsiderar esses grupos de trabalhadores oculta a complexidade inerente à sua inserção nos grandes mercados de trabalho urbanos. Por sua vez, o capítulo 3 contribui para a literatura tradicional do UWP, investigando um grupo negligenciado de trabalhadores—as mulheres—e concentrando-se em características individuais, como a posição no domicílio, o estado civil, e a presença de crianças, além do status de formalidade. Além disso, contribui empiricamente para a literatura do UWP estimando e corrigindo o viés de seleção amostral, relacionado à participação no mercado de trabalho, e usando regressões quantílicas para identificar se a magnitude da UWP é diferente ao longo da distribuição de salários. Portanto, a principal conclusão indica que os resultados anteriores do UWP estão subestimados, uma vez que as trabalhadoras são negligenciadas. Além disso, pode superestimado ou subestimado para mulheres e homens se a distribuição de salários for desconsiderada. Encontramos fortes evidências de que os efeitos da aglomeração não beneficiam os trabalhadores igualmente e um maior UWP feminina também pode ser atribuída às mudanças na composição do mercado de trabalho feminino.pt
dc.description.sourceDados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2020)
dc.format.extent196 p.
dc.identifierhttps://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=9525352pt
dc.identifier.fileELOIZA REGINA FERREIRA DE ALMEIDA.pdf
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/11600/64681
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso aberto
dc.subjectWagesen
dc.subjectUrban Wage Premiumen
dc.subjectAgglomerationsen
dc.subjectInformalityen
dc.subjectGender Differentialsen
dc.subjectSaláriospt
dc.subjectPrêmio Salarial Urbanopt
dc.subjectAglomeraçõespt
dc.subjectInformalidadept
dc.subjectDiferenciais De Gêneropt
dc.titleUrban Wage Premium in Brazil: new evidence about informality and genderpt
dc.typeDissertação de mestrado
unifesp.campusOsasco, Escola Paulista de Política, Economia e Negóciospt
unifesp.graduateProgramEconomia e Desenvolvimentopt
unifesp.knowledgeAreaEconomia E Desenvolvimentopt
unifesp.researchAreaDesenvolvimento: Teoria E Historiapt
Arquivos
Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
ELOIZA REGINA FERREIRA DE ALMEIDA.pdf
Tamanho:
35.57 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format
Descrição: