Qualidade de vida e autoestima de pacientes com úlcera crônica

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2013-01-01
Autores
Souza, Diba Maria Sebba Tosta de
Borges, Fernanda Ribeiro
Juliano, Yara
Veiga, Daniela Francescato
Ferreira, Lydia Masako [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJECTIVE: To assess the Quality of Life and the Self-Esteem of patients with chronic ulcers. METHODS: Analytical and cross-sectional study. One hundred and fifty patients were assessed for six months, among them seventy-five patients with chronic ulcers. Patients over 18 years of age were included, male and female, hospitalized and assisted at outpatient care centers, with intact cognition. RESULTS: Patients with ulcers were predominantly male (p<0.002). In both groups, the average age was 62 and the most prevalent illness was hypertension (32%). The worst Functional Capacity score was observed in the group without ulcers (p=0.003); the group with ulcers registered the worst score for the Vitality aspect (p=0.042). CONCLUSION: Patients with chronic ulcers had the worst Quality of Life in relation to activity, little energy and willingness to carry out the Activities of Daily Living. The ulcers, however, did not affect the self-esteem of these patients.
OBJETIVO: Avaliar Qualidade de Vida e autoestima de pacientes com úlcera crônica. MÉTODOS: Estudo analítico e transversal. Avaliaram-se, por seis meses, 150 pacientes, sendo 75 portadores de úlcera crônica. Foram incluídos pacientes dos dois gêneros, com mais de 18 anos, internados e atendidos em ambulatório, e com cognição preservada. RESULTADOS: Dentre os pacientes com úlcera, predominou o gênero masculino (p<0,002). Nos dois grupos, a mediana de idade foi 62 anos e a hipertensão arterial foi a doença mais prevalente (32%). Observou-se pior escore da Capacidade Funcional no grupo sem úlcera (p=0,003); o grupo com úlcera registrou pior escore para o domínio Vitalidade (p=0,042). CONCLUSÃO: Pacientes com úlceras crônicas apresentaram pior Qualidade de Vida com relação à atividade, com pouca energia e disposição para realizar as Atividades da Vida Diária. As úlceras, porém, não influenciaram na autoestima desses pacientes.
Descrição
Citação
Acta Paulista de Enfermagem. Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), v. 26, n. 3, p. 283-288, 2013.