Contribuição econômica do mergulho recreativo em áreas marinhas protegidas sujeitas a diferentes regimes e contextos de gestão: um estudo de caso para o sudeste do Brasil

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2024-05-27
Autores
Agune, Felipe Carvalhaes [UNIFESP]
Orientadores
Motta, Fabio dos Santos [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
O oceano é reconhecido pela capacidade de prover uma gama de serviços ecossistêmicos que de alguma forma promovem o bem-estar humano. A dinâmica da ação antrópica e do provimento de bens e serviços por parte dos ecossistemas se dá de forma complexa, demandando um aprofundamento do seu entendimento que permita a preservação do ambiente e a perpetuação dos benefícios gerados. As Áreas Marinhas Protegidas como instrumento da gestão de base ecossistêmica vêm ganhando cada vez mais relevância, devido a sua capacidade de atingir alvos de conservação por meio da integração de demandas de diversos atores sociais. Esse modelo de gestão necessita de uma base de informações econômicas, sociais e ecológicas que auxiliem no processo de planejamento e tomada de decisão. Neste trabalho avaliamos a contribuição econômica do mergulho recreativo (serviço ecossistêmico cultural) em três Áreas Marinhas Protegidas do Estado de São Paulo expostas à diferentes contextos e regimes de gestão. A análise da contribuição econômica foi realizada por meio do Tourism Economic Model for Protected Areas, uma adaptação do Money Generation Model, que leva em conta as particularidades da economia brasileira. O Refúgio de Vida Silvestre do Arquipélago de Alcatrazes apresentou uma contribuição econômica de R$5,2 milhões em vendas, 192 empregos, 1,4 milhão em renda e 1,9 milhão de valor agregado no PIB. Para o Parque Estadual Marinho da Laje de Santos a contribuição econômica foi de R$4,3 milhões em vendas, 161 empregos, 1,2 milhão em renda e 1,6 milhão de valor agregado ao PIB. A Ilha da Queimada Grande, inserida na Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Centro, apresentou uma contribuição econômica de R$636 mil em vendas diretas, 24 empregos, R$176 mil em renda e R$240 mil em valor agregado ao PIB.
The oceans are known for providing a range of ecosystem services that somehow promote human well-being. The complex interaction between anthropic activities and the provision of ecosystem services demands a deep understanding to ensure the preservation of the environment and the perpetuation of the benefits provided. The establishment of Marine Protected Areas under an ecosystem-based management model has gained relevance due to its ability to achieve conservation targets by integrating different stakeholders demands. To be effective this model needs economic, social, and ecological inputs to support the planning and decision-making process. Therefore, this study aimed to perform an economic contribution assessment of recreational diving (cultural ecosystem service) in three marine protected areas in the State of São Paulo exposed to different contexts and management regimes. The economic contribution assessment was performed using the Tourism Economic Model for Protected Areas, a Money Generation Model adaptation, which considers the particularities of the Brazilian economy. The Alcatrazes Archipelago Wildlife Refuge presented an economic contribution of R$5.2 million in sales, 192 jobs, 1.4 million in income and 1.9 million in added value to GDP. For the Laje de Santos Marine State Park, the economic contribution was R$4.3 million in sales, 161 jobs, 1.2 million in income and 1.6 million in added value to GDP. Queimada Grande Island, located in the Central Coast Marine Protection Area, presented an economic contribution of R$636 thousand in direct sales, 24 jobs, R$176 thousand in income and R$240 thousand in added value to GDP.
Descrição
Citação
AGUNE, Felipe Carvalhaes. Contribuição econômica do mergulho recreativo em áreas marinhas protegidas sujeitas a diferentes regimes e contextos de gestão: um estudo de caso para o sudeste do Brasil. 2024. 80 f. Dissertação (Mestrado em Biodiversidade Marinha e Costeira) - Universidade Federal de São Paulo, Instituto do Mar, Santos, 2024.