Comportamento do estresse oxidativo e da capacidade antioxidante total em ratos submetidos a retalhos cutâneos isquêmicos

dc.contributor.advisorFerreira, Lydia Masako [UNIFESP]
dc.contributor.authorCymrot, Moacir [UNIFESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulo [UNIFESP]
dc.date.accessioned2015-12-06T23:00:36Z
dc.date.available2015-12-06T23:00:36Z
dc.date.issued1999
dc.description.abstractA agressao oxidativa das especies reativas toxicas do oxigenio nos retalhos cutaneos isquemicos e o comportamento da defesa antioxidante sao assuntos de muito interesse, embora ainda pouco conhecidos. Foi estudado o comportamento do estresse oxidativo (avaliado pela concentracao de malondialdeido - MDA) e da defesa antioxidante (avaliada pela capacidade antioxidante - CAT), em fragmentos de retalhos cutaneos randomicos isquemicos de base cranial do dorso de ratos (amostras alternadas, desde sua extremidade distal ate sua base), em amostra controle, fora do retalho e no soro, em tres tempos pos- operatorios: imediato (POI), terceiro e setimo dias (PO3 e PO7, respectivamente). Para os valores de MDA no soro, o grupo POI apresentou valores significativamente menores que os grupos PO3 e PO7, os quais nao diferiram entre si (POI = 459.67 ng/ml; PO3 = 940.33 ng/ml e PO7 = 956.67 ng/ml). Nao foi encontrada diferenca entre os valores das amostras cutaneas em nenhum dos tres grupos estudados. Para os valores da capacidade antioxidante total (CAT) nao houve diferenca significante entre os tres grupos, quando analisado o soro dos animais (POI = I.OI ng/ml; PO3 = 1.1O ng/ml e PO7 = 1.06 ng/ml), no entanto, para as amostras de fragmentos cutaneos, os valores diminuiram significativamente em funcao do tempo, sendo POI = 7.20 ng/ml, PO3 = 3.90 ng/ml e PO7 = O.43 ng/ml. A inexistencia de diferenca para os valores de MDA nas amostras cutaneas entre os grupos e a diminuicao dos valores da CAT ao longo do tempo sugerem que a presenca de necrose na porcao distal dos retalhos animais do grupo PO7 decorra, nao somente da agressao oxidativa, mas tambem da diminuicao da capacidade de defesa antioxidante local e, provavelmente, do menor aporte de componentes sanguineos de reparacao celular e de outros mecanismos de defea nao abrangidos pelo desenho desse estudopt
dc.description.sourceBV UNIFESP: Teses e dissertações
dc.format.extent92 p.
dc.identifier.citationCYMROT, Moacir. Comportamento do estresse oxidativo e da capacidade antioxidante total em ratos submetidos a retalhos cutâneos isquêmicos. 1999. 101 f. Tese (Doutorado) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 1999.
dc.identifier.fileTese-5565.pdf
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16451
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectRetalhos Cirúrgicospt
dc.subjectIsquemiapt
dc.subjectEstresse Oxidativopt
dc.subjectAntioxidantespt
dc.subjectRatos Wistarpt
dc.titleComportamento do estresse oxidativo e da capacidade antioxidante total em ratos submetidos a retalhos cutâneos isquêmicospt
dc.title.alternativeOxidative stress and total antioxidant status in rats submitted to ischemic cutaneous flapsen
dc.typeTese de doutorado
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt
unifesp.graduateProgramCirurgia Translacional – São Paulo
Arquivos
Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
Tese-5565.pdf
Tamanho:
1.27 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format
Descrição: