Margens da literatura, sociedade e direito à voz: o valor literário de Capão Pecado, de Ferréz

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2022-08-31
Autores
Silva, Wallace José
Orientadores
Sales, Alessandro Carvalho
Tipo
Trabalho de conclusão de curso de graduação
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Das diversas maneiras que se buscou compreender a literatura produzida desde as periferias, boa parte delas apontam — não sem algum ponto de vista mais ou menos enviesado — para uma expressão neo-documental da realidade das margens. Essas perspectivas, entretanto, são as mesmas que tendem a uma desvalorização, ou ainda, uma estigmatização dessas produções. Um dos autores inseridos nesse contexto de produção literária que floresceu nas periferias na virada do século é o paulistano Ferréz, morador da periferia do Capão Redondo, no extremo sul de São Paulo. Sua primeira obra, o livro Capão Pecado (2000) restou capturada por determinadas interpretações que reduziram-na a um retrato da violência, dos sofrimentos, da falta de recursos e de oportunidades das populações que vivem distantes dos grandes centros urbanos. Em nosso trabalho, buscamos tecer outros modos de compreender esse exercício de Ferréz, na tentativa de compor uma leitura em intensidade de sua estréia singular no romance.
Descrição
Citação
SILVA. Wallace José. Margens da literatura, sociedade e direito à voz: o valor literário de Capão Pecado, de Ferréz