A ascensão do curador e as transformações nas exposições de arte: contribuições de Harald Szeemann e Walter Zanini

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2023-01-27
Autores
Matias, Thiago Tozawa [UNIFESP]
Orientadores
Spricigo, Vinicius Pontes [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
As condições de produção das artes visuais emergentes entre as décadas de 1960 e 1970 provocaram mudanças significativas no estatuto da arte, subvertendo os conceitos tradicionais da estética, ampliaram-se as possibilidades críticas e criativas da arte. As tradicionais estruturas de poder, fatores ideológicos, econômicos e culturais que alicerçavam os consuetudinários templos da arte foram tencionadas a se repensarem (função) e se reconfigurarem (estrutura) enquanto instituições. As atuações de dois curadores são fundamentais para compreendermos as condições históricas que permitiram a abertura das exposições à produção contemporânea: Harald Szeemann, no já conceituado Kunsthalle Bern, na Suíça; Walter Zanini no recém-criado Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP), no Brasil. Apesar de trajetórias, pensamentos e atuações distintas, os procedimentos e estratégias adotados em suas experimentações marcaram significativamente mudanças epistemológicas e metodológicas quanto à prática expositiva. No contexto europeu, inicia-se a noção de “curador independente”, que buscava formas críticas aos modos institucionalizados de produção do conhecimento; no Brasil, todavia, intentava-se ainda criar e consolidar espaços na esfera pública que permitissem a reflexão e o fazer artístico. Trata-se de uma pesquisa hipotético-dedutiva realizada através de análise qualitativa, o principal instrumento de coleta de dados foi a revisão bibliográfica e o estudo comparativo. As exposições de arte foram examinadas através do conceito operativo de dispositivo como forma de apreensão e análise das dinâmicas das relações expositivas da arte, operando de modo a emergirem questões nem sempre colocadas em relação à curadoria e às exposições. Como resultado, verificou-se que as atuações de Szeemann e Zanini contribuíram para importantes transformações nas exposições de arte e para a ascensão do curador, deslocando-o de suas antigas atribuições nos bastidores do museu e o posicionando no centro gravitacional das exposições. Destarte, inicia-se o processo de autoria das exposições, posteriormente, consolidada como um paradigma para a curadoria em arte contemporânea, atribuindo novos papéis a antigos atores. O curador, até então anônimo para grande parte do público, torna-se o novo protagonista das exposições, agente que passa a ganhar cada vez mais visibilidade e notoriedade no campo. As conclusões apresentadas, de um lado, contribuem para reposicionar a proeminência de W. Zanini frente a nomes já apregoados pela historiografia; de outro, amplia os estudos sobre exposições e curadoria em uma perspectiva crítica que compreende este acontecimento mediado por uma rede complexa de agentes (artista(s), curador(es), investidor(es), colecionador(es), instituição(es), mídia(s), público, etc) com os mais diversos interesses – políticos, econômicos, sociais, culturais e pessoais.
Descrição
Citação
MATIAS. T.T.. A ascensão do curador e as transformações nas exposições de arte: contribuições de Harald Szeemann e Walter Zanini. 2023. Dissertação (Mestrado em História da Arte) - Universidade Federal de São Paulo. Guarulhos, 2023.