Alteracoes comportamentais apos retirada abrupta do tratamento prolongado com antipsicoticos

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2012
Autores
Silva, Neide Derci da [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Antipsicoticos sao farmacos utilizados no tratamento de praticamente todas as formas de sintomas psicoticos. Eles sao prescritos por um longo periodo de tempo e, as vezes, e necessario reducao das doses ou mesmo retirada da droga. A privacao do tratamento prolongado com antipsicoticos ou a diminuicao da dose podem determinar o aparecimento da psicose por retirada, um fenomeno associado a supersensibilidade dopaminergica mesolimbica. A psicose por retirada e um fenomeno pouco estudado, apesar de sua relevancia clinica. Portanto, os objetivos do presente trabalho foram: 1) caracterizar comportamentalmente os efeitos da retirada de um tratamento prolongado com antipsicoticos tipico (haloperidol) e atipico (clozapina) administrados isoladamente ou em conjunto e 2) avaliar como essas alteracoes comportamentais associadas a psicose por retirada seriam moduladas por um agonista (anfetamina) e por antagonistas (haloperidol, clozapina e metoclopramida) dopaminergicos. A privacao do tratamento prolongado com haloperidol promoveu aumento de locomocao (que modela a psicose) e deficit de medo condicionado ao contexto (processamento de informacao emocional), mas nao alterou a interacao social (cujo deficit modela os sintomas negativos da esquizofrenia) e nem a inibicao pre-pulso (associada ao funcionamento do filtro sensorio-motor). O deficit de medo condicionado ao contexto promovido pela privacao de haloperidol foi revertido somente pelo haloperidol e potencializado pela anfetamina. Por outro lado, o aumento de locomocao induzido pela privacao de haloperidol foi potencializado pela anfetamina e revertido por todos os antagonistas dopaminergicos. Por fim, a privacao do tratamento prolongado com clozapina promoveu um aumento de interacao social. Estes resultados sugerem que a privacao de haloperidol promove, alem de hiperlocomocao, deficit de medo condicionado ao contexto. Assim, a privacao do tratamento com este antipsicotico parece promover nao so psicose como tambem alteracoes de processamento de informacao emocional. Essas duas alteracoes comportamentais nao parecem compartilhar exatamente os mesmos mecanismos, uma vez que foram moduladas diferentemente pelas drogas dopaminergicas utilizadas
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2012. 63 p.