Queixas musculoesqueléticas e procedimentos fisioterapêuticos na delegação brasileira paralímpica durante o mundial paralímpico de atletismo em 2011

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2013-08-01
Autores
Silva, Andressa da
Mattiello, Stela Márcia
Peterson, Ronnie
Zanca, Gisele Garcia
Vital, Roberto
Itiro, Roberto
Winckler, Ciro [UNIFESP]
Rocha, Edilson Alves da
Tufik, Sergio [UNIFESP]
Mello, Marco Tulio de [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
INTRODUCTION: Athletics is an umbrella sport with high incidence of musculoskeletal injuries; however, the literature presents little information on injuries in Paralympics athletics. OBJECTIVE: This study was to describe the profile of the musculoskeletal complaints, their anatomical locations, and physiotherapeutic resources used during the Paralympic Athletics World Championships in Christchurch in 2011. METHODS: The Brazilian delegation included 34 athletes. Their musculoskeletal complaints, affected anatomical regions, and the physiotherapy resources used were daily recorded for all of the physiotherapy sessions. The sessions were held in the hotel that hosted the delegation and at the competition venue. RESULTS: Out of the 34 athletes, 25 (73.5%) were treated at the Department of Physiotherapy. The main complaints were myalgia (38.4%), followed by arthralgia (23%). The region of the body with the most complaints was the thigh (n = 8, 30.7%), followed by the knee (n = 6, 23%). A total of 428 physiotherapy sessions were performed. At the hotel, the mostly used therapeutic approach was the ultrasound (35.1%), followed by TENS (31.2%) and cryotherapy (23.3%). At the competition venue, the mostly used therapeutic approach was cryotherapy (44.1%), followed by massage (37.2%). CONCLUSION: The results of this study contribute to a better understanding of the major injuries in this sport and help to develop programs aimed for injury prevention.
INTRODUÇÃO: O atletismo é uma modalidade esportiva que apresenta grande incidência de lesões musculoesqueléticas. No entanto, são poucas as informações na literatura a respeito das lesões no atletismo paralímpico. OBJETIVO: Descrever o perfil das queixas musculoesqueléticas, a localização anatômica e os recursos fisioterapêuticos utilizados durante o Mundial Paralímpico de Atletismo em Christchurch Nova Zelândia 2011. MÉTODOS: A Delegação Brasileira foi composta por 34 atletas. Foram feitos registros de todos os atendimentos do setor da fisioterapia, diariamente, quanto à queixa, região anatômica acometida e os recursos fisioterapêuticos utilizados. Os atendimentos eram realizados no hotel em que a delegação estava hospedada, bem como no local da competição. Dos 34 atletas, 25 (73,5%) foram atendidos no setor de fisioterapia. RESULTADOS: As principais queixas foram as mialgias (38,4%), seguida pelas artralgias (23%). As regiões mais referidas nas queixas dos atletas foram na coxa (n = 8, 30,7%), seguida pelo joelho (n = 6, 23%). No total foram realizados 428 atendimentos fisioterapêuticos. No hotel, o recurso terapêutico mais utilizado foi o ultrassom (35,1%), seguido do TENS (31,2%), da crioterapia (23,3%). No local da competição, o recurso terapêutico que prevaleceu foi a crioterapia (44,1%), seguida pela massoterapia (37,2%). CONCLUSÃO: Estes resultados contribuem para o conhecimento das principais lesões nesta modalidade esportiva, auxiliando no desenvolvimento de programas direcionados à prevenção das mesmas.
Descrição
Citação
SILVA, Andressa et al . Queixas musculoesqueléticas e procedimentos fisioterapêuticos na delegação brasileira paralímpica durante o mundial paralímpico de atletismo em 2011. Rev Bras Med Esporte, São Paulo , v. 19, n. 4, p. 256-259, ago. 2013
Coleções