Excesso de peso em universitários: estudo comparativo entre acadêmicos de diferentes cursos e sexos

Imagem de Miniatura
Data
2017
Autores
Mori, Claudia Oliveira
Cruz, Karina Cardoso Maia
Baptista, Marivanda dos Santos
Lauria, Vinicius Tonon
Teixeira, Cauê Vazquez La Scala [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: Overweight (OW) is a serious public health problem. Among university students, unhealthy lifestyle may favor increased of PE levels. Aim: To evaluate the body mass index (BMI) and verify the prevalence of OW in university students of different courses and genders. METHODS: This was a cross-sectional study involving 172 volunteers (27.6 +/- 8.6 years), 76 women (26.1 +/- 7.7 years) and 96 men (28.7 +/- 9.2 years) enrolled regularly follow courses: Law (DIR), Physical Education (EF), Logistics (LOG), Engineering (ENG), Human Resources (RH) and Administration (ADM). All volunteers completed a questionnaire to identify physical exercise and were submitted to BMI assessment. Results: The study showed the prevalence of PE among university students, in their respective genders and courses, being women (38.1%) and men (54.2%). The individual analysis by course revealed the following PE prevalence: RH (60%), ENG (53.6%), DIR (49.1%), EF (43.9%), LOG (33.3%) and ADM (30.8%). Conclusion: High rates of OW were observed in the general sample (47.1%), and men presented higher indices. The RH and ADM courses presented higher and lower prevalence of OW, respectively. In physical exercise practitioners, the prevalence of OW was slightly lower, suggesting that diet is the most influential factor in controlling body weight.
Introdução: O excesso de peso (EP) é um grave problema de saúde pública. Dentre universitários, o estilo de vida pouco saudável pode favorecer o aumento dos níveis de EP. Objetivo: Avaliar o índice de massa corpórea (IMC) e verificar a prevalência de EP em universitários de diferentes cursos e sexos. Métodos: Estudo transversal com a participação de 172 (27,6 ± 8,6 anos) universitários voluntários, sendo 76 mulheres (26,1 ± 7,7 anos) e 96 homens (28,7 ± 9,2 anos) matriculados regularmente nos cursos de Educação Física (EF), Direito (DIR), Logística (LOG), Engenharia (ENG), Recursos Humanos (RH) e Administração (ADM). Todos os voluntários preencheram um questionário para identificação da prática de exercícios físicos e foram submetidos à avaliação do IMC. Resultados: O estudo apresentou a prevalência de EP entre os universitários, nos seus respectivos gêneros e cursos, sendo mulheres (38,1%) e homens (54,2%). A análise individual por curso revelou as seguintes prevalência de EP: RH (60%), ENG (53,6%), DIR (49,1%), EF (43,9%), LOG (33,3%) e ADM (30,8%). Conclusão: Constataram-se altas taxas de EP na amostra geral (47,1%), sendo que os homens apresentaram maiores índices. Os cursos de RH e ADM apresentaram maior e menor prevalência de EP, respectivamente. Nos praticantes de exercício físico, a prevalência de EP foi ligeiramente menor, sugerindo a dieta como maior fator influente no controle do peso corporal.
Descrição
Citação
Rbone-Revista Brasileira De Obesidade Nutricao E Emagrecimento. Sao Paulo, v. 11, n. 68, p. 717-721, 2017.
Coleções