Estado nutricional em ferro, hepcidina e marcador de inflamação em adolescentes com excesso de peso

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2015-04-27
Autores
Lopes, Aline Ladeira de Carvalho [UNIFESP]
Orientadores
Amancio, Olga Maria Silverio Amancio [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objetivo: Avaliar o estado nutricional em ferro, os valores de hepcidina e de marcador inflamatório em adolescentes com excesso de peso. Métodos: Estudo transversal, prospectivo, controlado, por amostra de conveniência, em indivíduos de ambos os sexos, com idade entre 10 e 19 anos. Realizou-se avaliação antropométrica, do estadiamento puberal, da dieta quanto ao consumo e à biodisponibilidade de ferro e avaliação bioquímica de ferro, hepcidina e de marcadores inflamatórios. Resultados: Os valores bioquímicos de acordo com o IMC mostraram diferença estatisticamente significante entre o grupo eutrófico e o grupo obeso para a proteína C reativa, guardando relação direta com a adiposidade. Em termos absolutos, apresentaram, em relação à adiposidade, tendência de relação inversa para o ferro sérico e tendência de relação direta para a ferritina sérica. O estadiamento puberal não interferiu nas concentrações bioquímicas de ferro, ferritina, hepcidina, PCR e hemoglobina em nenhum grupo. Os valores médios da ingestão dietética de ferro e de fatores promotores da absorção do ferro mostraram que não houve diferença estatística entre os grupos. Em relação à biodisponibilidade de ferro na dieta consumida, 73,2% dos indivíduos estudados apresentaram uma dieta com alta biodisponibilidade e a classificação da biodisponibilidade não apresentou diferença estatisticamente significante entre os grupos. Conclusão: Os indivíduos com excesso de peso apresentam exames bioquímicos indicando processo inflamatório crônico e 12,5% deles com alteração no estado nutricional em ferro e valores elevados de hepcidina, corroborando a importância desta no metabolismo do ferro na obesidade.
Objective: To evaluate the nutritional status of iron, hepcidin levels and inflammatory markers in adolescents with overweight. Methods: Transversal, prospective, controlled study of a convenience sample, performed in subjects of both sexes, aged between 10 and 19 years. We evaluated anthropometric assessment, pubertal stage, diet, consumption and bioavailability of iron and biochemical evaluation of iron, hepcidin and inflammatory markers. Results: The biochemical values according to BMI showed a statistically significant difference between the healthy weight group and the obese group for C-reactive protein, a direct relationship with adiposity. In absolute terms, presented in relation to adiposity, trend inversely related to serum iron and trend directly related to serum ferritin. The pubertal stage did not interfere in the biochemical concentrations of iron, ferritin, hepcidin, CRP and hemoglobin in either group. The mean of dietary intake of iron and promoting factors of iron absorption showed no statistical difference between the groups. Regarding the bioavailability of iron in the diet consumed, 73.2% of the subjects had a diet with high bioavailability and bioavailability classification had no statistically significant difference between groups. Conclusion: Overweight subjects have the biochemical tests indicating chronic inflammatory process and 12,5% with change in the iron nutritional status and high levels of hepcidin, confirming the importance of this in iron metabolism in obesity.
Descrição
Citação
CARVALHO, Aline Ladeira de. Estado nutricional em ferro, hepcidina e marcador de inflamação em adolescentes com excesso de peso. 2015. 54 f. Dissertação (Mestrado em Pediatria e ciências aplicadas à pediatria) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2015.