Show simple item record

dc.contributor.advisorPrates, José Carlos [UNIFESP]
dc.contributor.authorGabrielli, Carla [UNIFESP]
dc.date.accessioned2015-12-06T23:00:28Z
dc.date.available2015-12-06T23:00:28Z
dc.date.issued1999
dc.identifier.citationSão Paulo: [s.n.], 1999. 100 p.
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16373
dc.description.abstractA importancia do pe nas atividades diarias do homem, tais como as ocupacionais, esportivas e recreativas e evidente. As estruturas que o compoem tem sido objeto de varios estudos, particularmente os relacionados a sua irrigacao, como subsidio para o uso de tecnicas de revascularizacao do pe, tentando-se evitar uma amputacao. As cirurgias de pontes para as arterias do pe tem-se tornado mais frequentes, com um bom indice de sucesso, e as mesmas requerem a realizacao de arteriografias pro e/ou intra-operatorias para avaliacao do seu leito arterial. Baseados nestes fatos, nos propusemos a estudar a formacao, topografia, ramos e os aspectos biometricos do arco plantar profundo (APP), que representa a principal conexao entre as redes arteriais do dorso e planta do pe. O estudo foi realizado em 50 pes de 25 cadaveres formalizados de individuos brasileiros, adultos, de ambos os sexos, pertencentes aos Departamentos de Morfologia das Universidades Federal de São Paulo e Federal de Santa Catarina. As arterias do pe foram injetadas com latex (Artifix Ll4) colorido de vermelho, atraves da a. tibial anterior ou da a. tibial posterior, As dissecacoes das arterias do dorso e planta do pe foram efetuadas com o auxilio de uma lupa. Para o estudo biometrico, foram efetuadas diversas medicoes e os resultados foram analisados estatisticamente. Cada caso foi registrado esquematicamente e fotografaram-se os mais representativos. O APP foi constante e formado pela anastomose por inosculacao entre a a. plantar profunda e o ramo profundo da a. plantar lateral. A a. plantar profunda alcancou a regiao plantar atraves do 1º espaco interosseo em 98,0 por cento, nos 2,0 por cento restantes, havia duas aa. plantares profundas, que passaram respectivamente, pelo 1º e 2º espacos interosseos. O calibre medio desta arteria foi 2,25 mm e o do ramo profundo da a. plantar lateral, 1,8 mm. O calibre medio do APP, na linha axial do pe, foi 2,18 mm. Na formacao do APP, houve predominio de contribuicao da a. plantar profunda (Tipo I) em 72,0 por cento, sendo bilateral em 15 individuos. A contribuicao do ramo profundo da a. plantar lateral predominou (Tipo li) em 22,0 por cento e foi bilateral em 3 individuos. A contribuicao foi balanceada (Tipo li[) em 6,0 por cento e bilateral em l individuo. O ramo profundo da a. plantar medial desembocou na parte medial do APP em 12,0 por cento. A distancia entre o APP e cada comissura interdigital foi equivalente, em media, entre 28 por ...(au)pt
dc.format.extent100 p.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectPé/anatomia & histologiapt
dc.subjectArtériaspt
dc.titleArco plantar profundo no homem: constituição , topografia, ramos e aspectos biométricospt
dc.title.alternativeDeep plantar arch: constitution, topography, branches and biometric aspectsen
dc.typeTese de doutorado
dc.identifier.fileepm-016082.pdf
dc.description.sourceBV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record