Logo

Submissões Recentes

Item
Margens da literatura, sociedade e direito à voz: o valor literário de Capão Pecado, de Ferréz
(Universidade Federal de São Paulo, 2022-08-31) Silva, Wallace José; Sales, Alessandro Carvalho; http://lattes.cnpq.br/8858290296572625; https://lattes.cnpq.br/0736074085325462
Das diversas maneiras que se buscou compreender a literatura produzida desde as periferias, boa parte delas apontam — não sem algum ponto de vista mais ou menos enviesado — para uma expressão neo-documental da realidade das margens. Essas perspectivas, entretanto, são as mesmas que tendem a uma desvalorização, ou ainda, uma estigmatização dessas produções. Um dos autores inseridos nesse contexto de produção literária que floresceu nas periferias na virada do século é o paulistano Ferréz, morador da periferia do Capão Redondo, no extremo sul de São Paulo. Sua primeira obra, o livro Capão Pecado (2000) restou capturada por determinadas interpretações que reduziram-na a um retrato da violência, dos sofrimentos, da falta de recursos e de oportunidades das populações que vivem distantes dos grandes centros urbanos. Em nosso trabalho, buscamos tecer outros modos de compreender esse exercício de Ferréz, na tentativa de compor uma leitura em intensidade de sua estréia singular no romance.
Item
Representações de estudantes de pedagogia sobre sexualidade: Construindo scripts sexuais
(Universidade Federal de São Paulo, 2024) Godoi, Ana Maria Limeira de; Moraes, Silvia Piedade de; Brêtas, José Roberto da Silva; http://lattes.cnpq.br/5767283493854609; http://lattes.cnpq.br/9720478681165248; http://lattes.cnpq.br/6488173560075415
Este livro surge como resultado de uma pesquisa de doutorado na área de educação em saúde e educação em sexualidade, realizada pelo Programa de Pós-Gradução Educação e Saúde na Infância e na Adolescência da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A organização dos capítulos obedeceu a ordem de uma tese de doutorado. Foi realizado uma pesquisa qualitativa e teve como objetivo compreender as representações sociais sexuais representados pelos estudantes do curso de pedagogia, descobrir a compreensão dos estudantes sobre o conteúdo sexualidade no currículo de formação de pedagogos e conhecer as representações sociais dos estudantes sobre a educação em sexualidade no currículo escolar. Participaram do estudo 22 discentes do curso de pedagogia, do sexo feminino e masculino, com idade entre 19 anos e 54 anos. O local do estudo foi realizado no município de Guarulhos sendo que 11 discentes estavam no curso de pedagogia da Universidade Federal de São Paulo e os outros 11 discentes eram da Universidade de Guarulhos. Como aporte teórico-metodológico utilizou-se a Teoria das Representações Sociais e o Teoria dos Scripts Sexuais. As narrativas foram organizadas em oito temas: Diversidades sexuais; Violências de gênero; Caminhos para o conhecimento; Desenvolvimento da sexualidade humana; Violência sexual infantil; Pais x educadores: no âmbito do medo; Formação continuada e Fluidez das gerações. O estudo conclui que para os discentes as representações sobre sexualidade estão baseadas principalmente na questão da orientação sexual, diversidade sexual e desenvolvimento da sexualidade, A sexualidade é representada pela maioria como processo de conhecimento, saber quais são os seus íntimos desejos e uma forme de empoderamento. Os/as discentes consomem ainda muito do que é dito pelo senso comum. Mesmo representados pelos/as estudantes conveniente às expectativas sociais desejadas, ou seja, as práticas sexuais são conduzidas dentro da lógica da heteronormatividade. A principal representação que dos/as estudantes têm sobre educação em sexualidade no currículo escolar foi marcada pelo medo e a censura. A formação continuada é percebida como uma forma de obter conhecimento, mesmo que tardio, para terem ferramentas para trabalhar educação em sexualidade nas escolas.
Item
Morte persona non grata: Enunciações e formação humana
(Universidade Federal de São Paulo, 2024) Santos, Claudemir Lima dos; http://lattes.cnpq.br/0452567526290500
“Oh, que farei, Utnapishtim, para onde irei? O ladrão da noite já se apoderou do meu corpo, a morte habita o meu espaço; encontro a morte onde quer que pouse meus pés.” -- Gilgámesh A obra a seguir é resultado de um caminho percorrido ao lado de Marcia Romero desde a graduação em Pedagogia até a dissertação de mestrado na Unifesp Guarulhos. Diante do meu fascínio com a Morte personificada na literatura, Marcia propôs um estudo sobre a personagem em livros e enunciações, de forma que entre cânones literários, ditados populares, frases jornalísticas e expressões cotidianas, procurássemos por MORTE, suas significações e sentidos. Em meio a isso, uma pandemia. Em meio a pandemia, parentes e amigos experienciando a morte da única maneira possível: morrendo. E estar à morte é uma experiência solitária, pessoal e intrasferível. O grande momento da vida: ninguém morre por você. A morte é um lugar que é só teu e, enquanto você não ocupá-lo, ninguém o ocupará. Humanizar o fenômeno, transformando-o em personagem ou enunciá-lo no cotidiano seriam formas de manter por perto aquilo que não querermos vivenciar, mas que inevitavelmente vivenciaremos? Como nossa relação social e cultural com a morte influencia nossa formação humana? Foi uma odisseia em busca de como textos literários e enunciados colaboram com a formação humana e compreensão de mundo. O resultado deste caminhar é a dissertação “Morte: Persona non grata? Enunciações e Formação Humana”, escolhida para representar o Programa de Pós Graduação em Educação e Saúde (PPGESIA) da Unifesp Guarulhos no prêmio EFLCH/Unifesp de melhores dissertações 2022. Somos gratos a todos os envolvidos e seguimos o caminho sobre o tema, rumo a uma nova pesquisa – ou continuação dela, mas em outra seara? – pois naturalmente ele não se esgota apenas em um fôlego que é a vida e, até o presente momento, há tempo e espaço para vivermos essa busca sobre todos nós.
Item
As imagens nos mostram: uma análise de A Prata e a Cruz de Harun Farocki no contexto da exposição Princípio Potosi.
(Universidade Federal de São Paulo, 2024-02-29) Fares Cavalheiro, Khadyg Leite; Matos, Yanet Aguilera Viruez Franklin de; http://lattes.cnpq.br/0964792926987907; http://lattes.cnpq.br/9077144378835514
Essa pesquisa tem o interesse em analisar o potencial político e epistemológico das imagens a partir do vídeo A Prata e a Cruz de Harun Farocki. Realizado em 2010 pelo cineasta alemão de origem indiana, o vídeo integrava uma instalação comissionada pelo projeto da exposição Principio Potosí ¿Cómo Podemos Cantar el Canto del Señor en Tierra Ajena?. Para estudo buscamos descrever e analisar as imagens do vídeo que nos mostra a pintura Descripción del Cerro Rico y Imperial Villa de Potosí do artista potosino, Gaspar Miguel de Berrío considerando também a relação texto em voz over que as acompanham. Nos interessa investigar como se dão os processos de silenciamento e apagamento que iniciativas e projetos que têm buscado retomadas de uma história da América sempre acarretam. Para tanto consideraremos como tais problemáticas se refletiram na própria curadoria da exposição composta por Alice Creischer e Andreas Siekmann e Max Jorge Hinderer e o embate com grupo curatorial formado por Silvia Rivera Cusicanqui e El Colectivo, dissidentes do projeto. Partiremos desses silenciamento e tratamentos, não apenas no sentido do que se apaga e silencia, mas na intenção de compreender os esquemas metodológicos e conceituais que possibilitam que eles acontecem, destacando dentre esses esquemas a relação entre imagem e texto.
Item
Sentidos sobre as relações étnico-raciais na educação matemática: formação inicial de professores na perspectiva histórico-cultural decolonial
(Universidade Federal de São Paulo, 2023-12-19) Santos, Luana Cristina da Silva [UNIFESP]; Moretti, Vanessa Dias; http://lattes.cnpq.br/0324707549177305; http://lattes.cnpq.br/9188836413518005
Com o intuito de superar a carência das relações étnico-raciais no ensino da matemática e considerando que o contexto cultural e social está na gênese do conhecimento, esta dissertação tem como objetivo investigar o movimento dos sentidos de licenciandos em matemática, em atividade de aprendizagem da docência, sobre relações étnico-raciais na educação matemática. A pesquisa tem uma abordagem teórico-metodológica fundamentada na Teoria Histórico-Cultural, utilizando um método de investigação que está ancorado ao método filosófico materialista histórico-dialético. Os dados foram produzidos no contexto de um curso de extensão com estudantes da licenciatura em Matemática. Nesse curso foram promovidas discussões sobre as relações étnico-raciais com tais estudantes da graduação e mediados por Situações Desencadeadoras de Aprendizagem, buscamos responder a seguinte questão de pesquisa como estudantes da graduação, em atividade de aprendizagem da docência, podem organizar o ensino da matemática de modo a propiciar a reflexão sobre as relações étnico-raciais na educação matemática? Como resultado, os dados produzidos indicam que a partir das discussões e das Situações Desencadeadoras desenvolvidas os licenciandos que participaram da formação se mostraram dispostos em repensar suas práticas e auxiliar no processo de construção de uma educação matemática decolonial, humanizada e representativa.