Study on the vaginal smear of rats submitted to autologous ovarian transplant: impact of remote ischemic preconditioning

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2009-10-01
Autores
Damous, Luciana Lamarão [UNIFESP]
Silva, Sônia Maria da [UNIFESP]
Lopes, Renato Antônio Migliano [UNIFESP]
Sakano, Célia Regina de Souza Bezerra [UNIFESP]
Simões, Manuel de Jesus [UNIFESP]
Montero, Edna Frasson de Souza [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
PURPOSE: To evaluate the remote ischemic preconditioning (R-IPC) impact on the quality of the ovarian graft by means of vaginal smear of transplanted rats. METHODS: Sixty rats were used divided in six groups: Control; Fresh transplant (TxF); Cryopreserved transplant (TxC); R-IPC; R-IPC + fresh transplant (TxF+R-IPC); R-IPC + cryopreserved transplant (TxC+R-IPC). R-IPC was performed in the common iliac artery. Autologous ovarian tissue was implanted integrally in the retro peritoneum. On the first PO day, vaginal smear collection was daily initiated. After 30 days, the PO day when the estrous cycle was re-initiated was considered for analysis as well as the estrous days and the number of estrous cycles. RESULTS: R-IPC showed a tendency to an early estrus re-initiation (p>0.05) as well as increase the number of cycles in the fresh transplanted group while in the cryopreserved transplant the number of cycles was similar, regardless of the stimulus R-IPC (p>0.05). The animals which had undergone fresh grafts had a longer estrous period than the ones which had undergone cryopreserved grafts, with or without R-IPC (p<0.05). CONCLUSION: R-IPC promoted earlier re-initiation of ovarian activity in the PO and greater estrous frequency, with more consistent results in the fresh grafts than in the cryopreserved ones.
OBJETIVO: Avaliar o impacto do precondicionamento isquêmico remoto (PCI-R) na qualidade do enxerto ovariano através dos esfregaços vaginais dos animais transplantados. MÉTODOS: Foram utilizadas 60 ratas, distribuídas em seis grupos de estudo: Controle; Transplante fresco; Transplante criopreservado; PCI-R; PCI-R + Transplante fresco; PCI-R + Transplante criopreservado. O PCI-R foi realizado na artéria ilíaca comum. O tecido ovariano foi implantado íntegro no retroperiônio. No 1º dia de pós-operatório (PO) foram coletados esfregaços vaginais diariamente. Após 30 dias foram considerados para análise o dia de PO de retorno do estro, assim como o número de dias em estro e de ciclos estrais. RESULTADOS: PCI-R mostrou tendência em reinício mais precoce do cilo estral (p>0,05), assim como aumento no número de cilcos estrais nos grupos com transplante fresco enquanto que no criopreservado o número de ciclos foi semelhante, independente do PCI-R (p>0,05). Os animais que receberam enxertos frescos apresentaram mais dias na fase estro do que os criopreservados, com ou sem PCI-R. CONCLUSÃO: O PCI-R promoveu retorno mais precoce da atividade ovariana no PO e maior freqüência de estro, sendo os resultados mais consistentes nos enxertos frescos do que nos criopreservados.
Descrição
Citação
Acta Cirurgica Brasileira. Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia, v. 24, n. 5, p. 387-392, 2009.