Avaliação da abordagem da sexualidade em idosos com dor crônica

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2015-06-30
Autores
Cherpak, Guilherme Liausu [UNIFESP]
Orientadores
Santos, Fania Cristina dos Santos [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado profissional
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Sexual health has great importance in quality of life and general health of the elderly. Chronic pain has great impact in sexual health. Some 73% of older persons living with chronic pain have sexual dysfunctions as well. Very few of those get to discuss this matter with a physician. To find the reasons lying beneath this silence can help develop history-taking strategies that include this important topic to elders. To know how sexuality is approached in medical consultations in various specialties can provide good examples and changes in history taking. Physicians with chronic pain suffering elderly patients answered to a self-reported questionnaire about their clinical practice and their experience in approaching the subject of sexuality. Of the 155 physicians in the sample, 63.9% referred not discussing sexuality in their consultations. Of the 36.1% that referred discussing sexuality, only 23.2% did it in more than 60% of the consultations. The main reasons for not discussing were lack of time, fear to embarrass the patient and lack of knowledge to do so. It is important to develop strategies to enhance these numbers, in order to improve health care for elders, viewing them as whole beings, including their sexuality. This would have a positive impact in quality of life.
A saúde sexual tem grande importância na qualidade de vida e saúde dos indivíduos. E a dor crônica impacta na saúde sexual. Até 73% dos idosos com dor crônica sofrem com disfunção sexual e, apesar disto, poucos tem a oportunidade de discutir assuntos relacionados a esta disfunção com os seus médicos. Estudar o impacto da ?não-abordagem? de questões relacionadas à sexualidade nas consultas médicas, assim como os fatores que levam àquela ?não abordagem? pelos médicos que prestam atendimento aos idosos, pode auxiliar o desenvolvimento de novas abordagens na anamnese que incluam estas questões tão importante para esta população. Conhecer como a sexualidade é abordada nas consultas de diversas especialidades que trabalham com idosos portadores de dor crônica pode conduzir a mudanças específicas na anamnese dirigida da especialidade para um melhor atendimento daqueles pacientes, assim como, conhecer os motivos que levam a uma ?não abordagem? da sexualidade nas consultas médicas pode auxiliar na criação de estratégias de intervenção neste sentido. Médicos que atendem a idosos com dor crônica e que tem atuação em hospitais universitários responderam a questionário auto-aplicado com questões sobre as suas práticas clínicas assim como, questões acerca das suas experiências em assuntos relacionados a sexualidade. Obtida uma amostra de 155 médicos, 63,9% referindo que não abordavam a sexualidade nas suas consultas médicas. Dos 36,1% que a abordavam, 23,2% fazia em mais de 60% das vezes. As principais causas para a ?não abordagem? foram falta de tempo, medo de constranger o paciente e inaptidão técnica para abordar aquele assunto. Observou-se a necessidade de se desenvolver estratégias para melhorar a abordagem da sexualidade dos pacientes idosos para assim, melhorar os índices de qualidade de vida dos mesmos.
Descrição
Citação
CHERPAK, Guilherme Liausu. Avaliação da abordagem da sexualidade em idosos com dor crônica. 2015. 32 f. Dissertação (Mestrado Profissional) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2015.