Show simple item record

dc.contributor.advisorSilva, Carla Cilene Baptista da [UNIFESP]
dc.contributor.authorVida, Cindy Passeti da Costa [UNIFESP]
dc.date.accessioned2022-07-21T16:47:56Z
dc.date.available2022-07-21T16:47:56Z
dc.date.issued2020-03-17
dc.identifierhttps://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=9772392
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/xmlui/handle/11600/64525
dc.description.abstractIn Brazil, Early Intervention programs seem to have practices aimed at stimulating skills, with a child-centered focus. The Early Intervention programs in European countries and the United States of America, as recommended by UNICEF, have the early intervention practice centered on the family, which presents a transdisciplinary perspective, in which the family and caregivers are active in the implementation and development of the evaluation, planning and intervention, and the professional has the role to support the family to be the protagonist of this process. This research aims to understand the active participation of families in Early Intervention programs of three services of Sistema Único de Saúde within three cities of Baixada Santista. The research was carried out with the participation of nine family members of children from zero to three years old, at risk of neuropsychomotor development delay or with diagnosis, and 15 professionals. Two semi-structured interview scripts were used, one for family members and one for professionals. The data collected from the interview scripts were studied from the Content Analysis perspective, in the Thematic Analysis process. Based on the results, it is possible to observe that the active participation of families seems to be related mainly to a traditional model of intervention, considering that they do not understand the wider participation possibilities that provide greater autonomy and protagonism to the family. In practice, the active participation of the family in the objectives planning, intervention and reevaluation does not appear often. In general, the services interventions studied seems to be more related to a “professional-centered” practice, considering that professionals remain specialists and the only ones responsible to determine and implement the interventions, however, part of the professionals also pointed out some practices “family-allied”, in which they offer listening to family members and consider them as capable of implementing the prescribed interventions. Therefore, for the effective active participation of families in the services studied, it’s necessary a significant intervention logical change, one which should cease to have as the main objectives punctual gain for children related strictly to the development of skills, and start to define as objective to enable, to strengthen and answer demands of all family members, considering not only the child, but the entire context. To this, this study also identifies the necessity of the creation of a public policy which advocates a specific intervention approach in early intervention, such as family-centered, in order to direct and support the services to be held work with even more effectiveness related to the active participation of the families. This study expects to contribute with reflections about this subject, to promote discussions about the importance of active participation of families in early intervention and contribute to future researches.en
dc.description.abstractNo Brasil os programas de Intervenção Precoce parecem possuir práticas voltadas à estimulação de habilidades, com enfoque centrado na criança. Os programas de Intervenção Precoce em países Europeus e nos Estados Unidos da América, como preconizado pelo UNICEF, possuem a prática da intervenção precoce centrada na família, que apresenta uma perspectiva transdisciplinar, na qual a família e cuidadores são ativos na implementação e desenvolvimento da avaliação, planejamento e intervenção, e o profissional possui o papel de apoiar a família a ser protagonista deste processo. Esta pesquisa tem por objetivo compreender sobre a participação ativa de famílias em programas de Intervenção Precoce de três serviços do Sistema Único de Saúde de três cidades da Baixada Santista. A pesquisa foi realizada com a participação de nove familiares de crianças de zero a três anos, com risco de atraso no desenvolvimento neuropsicomotor ou com diagnósticos fechados, e de 15 profissionais. Foram utilizados dois roteiros de entrevista semiestruturados, um para familiares e outro para profissionais. Os dados coletados a partir dos roteiros de entrevista foram estudados sob a perspectiva da Análise de Conteúdo, na modalidade de Análise Temática. Com base nos resultados, é possível observar que a participação ativa das famílias parece estar atrelada principalmente a um modelo tradicional de intervenção, tendo em vista que não compreendem as possibilidades de participação mais alargadas que proporcionam maior autonomia e protagonismo ao familiar. Na prática, a participação ativa da família no planejamento dos objetivos, intervenção e reavaliação pouco aparece. De forma geral, a atuação nos serviços estudados parece estar mais relacionada a uma prática “centrada no profissional”, tendo em vista que os profissionais se mantem como especialistas e os únicos responsáveis por determinar e implementar as intervenções, no entanto, parte dos profissionais também apontaram algumas práticas “aliadas na família”, nas quais oferecem escuta aos familiares e os consideram como capazes de implementar as intervenções prescritas. Sendo assim, para que ocorra a participação ativa e efetiva das famílias nos serviços estudados, se faz necessário uma mudança considerável da lógica de atuação, a qual deve deixar de possuir como objetivos principais ganhos pontuais para as crianças relacionados estritamente ao desenvolvimento de habilidades, e passar a traçar como objetivo capacitar, fortalecer e responder as demandas de todos os familiares, considerando não apenas a criança e sim todo o seu contexto. Para isso, este estudo também identifica a necessidade de criação de uma política pública que preconize uma abordagem específica de atuação na intervenção precoce, como a Centrada na Família, de forma a direcionar e embasar os serviços para que realizem um trabalho ainda com maior efetividade em relação a participação ativa das famílias. Espera-se com este estudo contribuir com reflexões sobre essa temática, fomentar discussão sobre a importância da participação ativa das famílias na intervenção precoce e contribuir para futuras pesquisas.pt
dc.format.extent218 p.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectEarly-Interventionen
dc.subjectFamily Participationen
dc.subjectHealth Professionalsen
dc.subjectRehabilitation Centersen
dc.subjectFamily-Centered Approachen
dc.subjectIntervenção Precocept
dc.subjectParticipação Da Famíliapt
dc.subjectProfissionais De Saúdept
dc.subjectCentros De Reabilitaçãopt
dc.subjectAbordagem Centrada Na Famíliapt
dc.titleParticipação ativa da família na intervenção precoce na Baixada Santista: concepções de mães e profissionaispt
dc.typeDissertação de mestrado
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.description.sourceDados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2020)
unifesp.campusBaixada Santista, Instituto de Saúde e Sociedadept
unifesp.graduateProgramInterdisciplinar em Ciências da Saúdept
unifesp.knowledgeAreaPromoção, Prevenção E Reabilitação Em Saúdept
unifesp.researchAreaCiências Humanas, Sociais E Saúdept
dc.audience.educationlevelMestrado
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/2665552093511451pt


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record