Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/61059
Title: Vamos Conversar? Discussão Sobre a Autonomia dos Usuários no Centro de Atenção Psicossocial
Authors: Kinker, Fernando Sfair [UNIFESP]
Abad, Audra Liz Magalhães [UNIFESP]
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
http://lattes.cnpq.br/7422186476108031
http://lattes.cnpq.br/9428178474782359
Keywords: Saúde mental
Autonomia
Empoderamento
Autocuidado
Reforma psiquiátrica
Mental health
Autonomy
Empowerment
Self-care
Psychiatric reform
Issue Date: 4-Jun-2021
Publisher: Universidade Federal de São Paulo
Citation: ABAD, Audra Liz Magalhães. Vamos Conversar? Discussão Sobre a Autonomia dos Usuários no Centro de Atenção Psicossocial. 2021. 156f. Dissertação (Mestrado) - Centro de Desenvolvimento do Ensino Superior em Saúde, Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2021.
Abstract: Introdução: Esta pesquisa propôs visibilizar a questão da autonomia dos usuários em hospitalidade diurna (HD) do Centro de Atenção Psicossocial III (CAPS) – Centro, na cidade de Santos, estado de São Paulo. Popularmente a autonomia é caracterizada pelo fato da pessoa ter independência. Porém o referido trabalho foi pautado no conceito de que a autonomia está em ampliar a rede de dependências, de forma a que possamos dar sentido à vida, produzindo as próprias normas. Foi colocado em pauta a importância e os desafios de a equipe técnica fomentar a participação dos usuários na comunidade, espaços e serviços em que estão inseridos, despertando o senso de protagonismo em cada um. Objetivos: Buscou-se investigar e analisar quais as percepções dos usuários acerca de como se dá seu protagonismo e autonomia nos espaços em que estão inseridos, e mais especificamente identificar os usuários que necessitam de ações de fortalecimento com relação a sua autonomia, protagonismo, construção da própria história e de seus cuidados em saúde. Método: A pesquisa foi qualitativa com o grupo focal como instrumento principal para obtenção dos dados. Foram realizados três grupos focais nos meses de julho e agosto de 2019, tratando-se de temáticas diferentes a cada encontro; para o aquecimento de cada grupo foi proposto que os usuários fizessem colagens, desenhos ou frases sobre o tema da discussão central do encontro. Além disso, utilizou-se o diário de campo como produção de dados, sendo estes analisados por meio da análise de conteúdo. Resultados: Através deste estudo pudemos comprovar o quanto a questão da autonomia está presente no cotidiano dos usuários do CAPS que vão atrás de seus objetivos, tecem e expandem suas redes de apoio e seu poder de contratualidade no território em que estão inseridos. Ficou evidente que os usuários da Saúde Mental estão expostos a diversos tipos de violência, principalmente aqueles que vivem em regiões de maior vulnerabilidade e risco social, onde habitam em locais insalubres de quartos coletivos, como os cortiços. Destacou-se ainda que a maioria dos participantes da pesquisa procuram se esclarecer e estabelecem estratégias para adquirir ou pôr em prática seus direitos e, de certa forma, buscam o equilíbrio entre o autocuidado e suas realidades.
Introduction: This research proposed to make visible the issue of autonomy of users in day hospitality (HD) of the Center for Psychosocial Care III (CAPS) - Center, in the city of Santos, state of São Paulo. Popularly, autonomy is characterized by the fact that the person is independent. However, this work was based on the concept that autonomy lies in expanding the network of dependencies, so that we can give meaning to life, producing our own rules. The importance and the challenges for the technical team to encourage the participation of users in the community, spaces, and services in which they are inserted, awakening the sense of protagonism in each one, were put on the agenda. Objectives: We sought to investigate and analyze the users’ perceptions about how their protagonism and autonomy occurs in the spaces where they are inserted, and more specifically to identify the users who need strengthening actions regarding their autonomy, protagonism, construction of their own history and healthcare. Method: The research was qualitative with the focus group as the main instrument to obtain data. Three focus groups were conducted in the months of July and August 2019 dealing with different themes at each meeting and for the heating of each group it was proposed that users make collages, drawings or phrases on the theme of the central discussion of the meeting. In addition, the field diary was used as data production, and these were analyzed through content analysis. Results: Through this study we were able to prove how much the issue of autonomy is present in the daily lives of CAPS users who go after their goals, weave and expand their support networks and their power of contractuality in the territory in which they are inserted. It was evident that mental health users are exposed to several types of violence, especially those who live in regions of greater vulnerability and social risk, where they live in unhealthy places of collective rooms, such as the tenements. It was also highlighted that most of the research participants seek to clarify themselves and establish strategies to acquire or put into practice their rights and in some way seek a balance between self-care and their realities
URI: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/61059
Appears in Collections:Mestrado em Ensino em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Versão Final Audra Liz.pdfDissertação completa7.14 MBAdobe PDFView/Open
Termo de Autorização de Publicação Eletrônica-assinado (1).pdf859.23 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.