Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/61054
Title: As resistências ao etnocídio na Aldeia Tekoa Paranapuã
Other Titles: Etnocide resistance in Tekoa Paranapuã
Authors: Imbrizi, Jaquelina Maria [UNIFESP]
Oliveira, Vinícius Duarte de [UNIFESP]
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
http://lattes.cnpq.br/2323794177510432
http://lattes.cnpq.br/8682215618761531
Guimarães, Danilo Silva
http://lattes.cnpq.br/9266781984642215
Keywords: Povos Indígenas
Etnocídio
Racismo
Resistência
Dimensão Sociopolítica do Sofrimento
Indigenous people
Ethnocide
Racism
Resistance
Socio-political Dimension of Suffering
Issue Date: 27-Nov-2020
Publisher: Universidade Federal de São Paulo
Citation: OLIVEIRA, Vinícius Duarte de. As resistências ao etnocídio na Aldeia Tekoa Paranapuã. 202. 119f. Dissertação (Mestrado) - Instituto Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2020.
Abstract: Em 2004, a comunidade da Aldeia Tekoa Paranapuã, situada em São Vicente, litoral do Estado de São Paulo, realizou a retomada de seu território sagrado. A reterritorialização indígena se fundamenta nas cosmologias dos povos Guarani Mbya e Tupi Guarani, que reconhecem a ocupação tradicional do território do Tekoa Paranapuã por seus ancestrais. Por conta da situação de litígio, na qual o Estado paulista é autor de uma ação civil pública que solicita a remoção da comunidade indígena do local, e do contexto de sobreposição territorial do Parque Estadual XixováJapuí, uma Unidade de Conservação, ocorrem violações de direitos e são impostas restrições ao modo de vida tradicional dos povos originários no território. Diante desta conjuntura, a presente dissertação tem por objetivo produzir uma reflexão crítica sobre a resistência da comunidade da Aldeia Tekoa Paranapuã ao etnocídio. Esta é uma pesquisa qualitativa de revisão bibliográfica. A fundamentação teórica produz o diálogo com um campo interdisciplinar, sobretudo com as áreas da psicanálise implicada, psicologia indígena, antropologia e dos estudos decoloniais. A resistência indígena possui múltiplas dimensões, sendo que a permanência no território é apontada como a principal luta da comunidade do Tekoa Paranapuã. Isto posto, produzi articulações com conceitos de racismo estrutural, etnocídio e dimensão sociopolítica do sofrimento, que são determinantes nos processos de sistemática violação de direitos, esbulho das terras indígenas e reprodução da colonialidade. As resistências da comunidade da Aldeia Tekoa Paranapuã ao etnocídio estão direcionadas a fortalecer o nhandereko, por meio do revigoramento do conhecimento ancestral e das práticas xamânicas, que sustentam a reterritorialização, permanência no tekoa e transmissão intergeracional da cosmovisão indígena. Esta pesquisa produz contribuições para a comunidade indígena e para os campos da interdisciplinaridade e psicologia, pois, aprofunda e amplia discussões no âmbito das relações interculturais e étnico-raciais sobre a resistência ao etnocídio.
In 2004, the Tekoa Paranapuã community, located in São Vicente, coast of the State of São Paulo, returned to their sacred territory. The indigenous reterritorialization is based on the cosmologies of the Guarani Mbya and Tupi Guarani peoples, who recognize the traditional occupation of the territory of Tekoa Paranapuã by their ancestors. Due to the litigious situation, in which the State of São Paulo is the author of a public civil action requesting the removal of the indigenous community from the site, and the context of territorial overlapping by the Xixová-Japuí State Park, a Conservation Unit, rights violations occur and restrictions are imposed on the traditional way of life of the original peopleo in the territory. Given this situation, this dissertation aims to produce a critical reflection on the resistance of the Aldeia Tekoa Paranapuã community to ethnocide. This is a qualitative research of bibliographic review. The theoretical foundation dialogues with an interdisciplinary field, especially within the areas of implicated psychoanalysis, indigenous psychology, anthropology and decolonial studies. The indigenous resistance has multiple dimensions, and the permanence in the territory is pointed out as the main struggle of the Tekoa Paranapuã community. Thus, I produced articulations with concepts of structural racism, ethnocide and the socio-political dimension of suffering, which are decisive in the processes of systematic violation of rights, the plunder of indigenous lands and the reproduction of coloniality. The resistance of the Aldeia Tekoa Paranapuã community to ethnocide is aimed at strengthening the nhandereko, through the reinvigoration of ancestral knowledge and shamanic practices, which support the reterritorialization, permanence in tekoa and intergenerational transmission of the indigenous worldview. This research produces contributions to the indigenous community and to the fields of interdisciplinarity and psychology, as it deepens and broadens discussions in the scope of intercultural and ethnic-racial relations about resistance to ethnocide.
URI: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/61054
Appears in Collections:PPG - Psiquiatria e Psicologia Médica



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.