Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4771
Title: Uso do escore prognóstico APACHE II e ATN-ISS em insuficiência renal aguda tratada dentro e fora da unidade de terapia intensiva
Other Titles: APACHE II and ATN-ISS in acute renal failure (ARF) in intensive care unit (ICU) and non-ICU
Authors: Fernandes, Natália Maria da Silva
Pinto, Patrícia dos Santos
Lacet, Thiago Bento de Paiva
Rodrigues, Dominique Fonseca
Bastos, Marcus Gomes [UNIFESP]
Stella, Sérgio Reinaldo [UNIFESP]
Cendoroglo Neto, Miguel [UNIFESP]
Universidade Federal de Juiz de Fora
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Keywords: APACHE II
ATN-ISS
Acute Renal Failure
Intensive Care Unit
APACHE II
ATN-ISS
Insuficiência renal aguda
Unidade de terapia intensiva
Issue Date: 1-Jan-2009
Publisher: Associação Médica Brasileira
Citation: FERNANDES, Natália Maria da Silva et al . Uso do escore prognóstico APACHE II e ATN-ISS em insuficiência renal aguda tratada dentro e fora da unidade de terapia intensiva. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo , v. 55, n. 4, p. 434-441, 2009
Abstract: INTRODUCTION: Acute renal failure (ARF) remains highly prevalent with a high rate of morbidity and mortality. OBJECTIVE: of this study was to compare use of the APACHE II scoring prognosis with that of the ATN-ISS to determine whether the APACHE II could be used for patients with ARF outside the ICU. METHODS: For this purpose,, 205 patients with ARF were accompanied in a prospective cohort. Demographic data, preexisting conditions, organ failure and characteristics of ARF were analyzed. The prognostic scores were performed with the assessment of a nephrologist. RESULTS: The mean age was 52 ± 18 years, 50% were male, 69% were white, 45% were treated in ICU and 55% in other units. Mortality in the ICU group was 85% and in the non-ICU group 18%. Factors that correlated with higher mortality were more prevalent in the ICU group: age, male, hospitalization with ARF, organ failure, sepsis, septic IRA, oliguria and need of dialysis. Overall, the prognostic markers were the same for both the ICU and non-ICU groups. The discrimination with the APACHE II was similar in both, ICU and non-ICU groups and calibration was better in the non-ICU group. The ATN-ISS achieved good discrimination in both the ICU and non-ICU groups, but, regarding calibration, there was a discreet over estimating of mortality in the non-ICU group. The ATN-ISS showed a greater capacity for discrimination than the APACHE II in both the ICU and non-ICU groups. CONCLUSION: It was concluded that the APACHE II and ATN-ISS scores could be used for stratification of risk in patients with ARF treated outside of the ICU in Brazil.
INTRODUÇÃO: A insuficiência renal aguda (IRA) mantém alta prevalência, morbidade e mortalidade. OBJETIVO: Comparar o uso do escore prognóstico APACHE II com o ATN-ISS e determinar se o APACHE II pode ser utilizado para pacientes com IRA, fora da UTI. MÉTODOS: Coorte prospectiva, 205 pacientes com IRA. Analisamos dados demográficos, condições pré-existentes, falência de órgãos e características da IRA. Os escores prognósticos foram realizados no dia da avaliação do nefrologista. RESULTADOS: A média de idade foi 52 ± 18 anos, 50% eram do sexo masculino, 69% eram brancos, 45% foram tratados em UTI e 55% em outras unidades. A mortalidade no grupo UTI foi 85% e no grupo não-UTI foi 18%. Os fatores que se correlacionaram com maior mortalidade foram mais prevalentes na UTI: idade, sexo masculino, IRA hospitalar, falência de órgãos, sepse, IRA séptica, oligúria e necessidade dialítica. No contexto geral, os marcadores prognósticos foram os mesmos para os grupos UTI e não-UTI. O APACHE II obteve discriminação similar nos grupos UTI e não-UTI e sua calibração foi melhor no grupo não-UTI. O ATN-ISS obteve boa discriminação tanto no grupo UTI quanto não-UTI, porém, com relação à calibração houve discreta superestimação da mortalidade no grupo não-UTI. O ATN-ISS apresentou melhor capacidade de discriminação do que o APACHE II nos grupos UTI e não-UTI. CONCLUSÃO: Concluímos que os escores APACHE II e ATN-ISS podem ser utilizados para a estratificação de risco em pacientes com IRA tratados fora da UTI em nosso meio.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4771
ISSN: 0104-4230
Other Identifiers: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302009000400019
Appears in Collections:Em verificação - Geral

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0104-42302009000400019.pdf466.29 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.