Agonistas dopaminérgicos no tratamento da dependência a cocaína

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2003
Autores
Soares, Bernardo Garcia de Oliveira [UNIFESP]
Orientadores
Lima, Maurício Silva de [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJETIVOS: a dependencia a cocaina e um importante problema de Saúde publica, sendo diversas as abordagens terapeuticas utilizadas. Muitas vezes a farmacoterapia e relacionada como a intervencao de melhor custo-efetividade porem os resultados das pesquisas disponiveis sao bastante heterogeneos. Os agonistas dopaminergicos sao medicacoes usadas em varias estrategias de tratamento da dependencia a cocaina e esta revisao sistematica objetiva esclarecer o papel dessas drogas nessa situacao. METODOS: Revisao sistematica da literatura e metanaiise de ensaios clinicos randomizados (ECR). Foi realizada uma ampla busca por estudos relevantes em bases de dados eletronicas (Cochrane Library, EMBASE, MEDLINE, LILACS, PsycLIT, Biological Abstracts), atraves da verificacao manual de referencias e do contato com autores. Os resultados foram analisados em intencao por tratar, sendo que para dados dicotomicos o risco relativo (RR) com 95 por cento de intervalo de confianca (IC) foi calculado usando-se o modelo randomico. RESULTADOS: 17 ECR foram incluidos, num total de 1224 individuos. Amantadina, bromocriptina e pergolide foram as medicacoes estudadas, sendo a maioria dos ECR controlados com placebo. Considerando-se 'presenca de metabolitos de cocaina na urina' como principal medida de eficacia, nao encontrou-se diferencas entre as drogas e mesmo em comparacao com placebo (RR 0,97; IC 0,80 a 1,18; n=188, N=5). As taxas de perdas foram altas e similares para ambas intervencoes. Nao houve diferenca quanto aos efeitos colaterais. CONCLUSOES: A evidencia atual a partir de ECR nao suporta o uso de agonistas dopaminergicos no tratamento da dependencia a cocaina. Todavia os resultados dos estudos primarios sao controversos e estudos com maior amostragem seriam importantes
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2003. 123 p.