Meningite aguda séptica: sintomas e sinais em crianças diagnosticadas em pronto-socorro

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2000
Autores
Boza, Hernan de Los Santos Segura [UNIFESP]
Orientadores
Reis Filho, João Baptista dos [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Foram estudados 110 casos de meningite aguda septica que deram entrada pelo PS do Hospital São Paulo no periodo de 1990 a 1996, abrangendo pacientes entre l mes e 18 anos, diagnosticados pelo estudo do liquido cefalorraquiano de entrada. O meningococo foi a causa mais frequente, com 24,5 por cento; hemofilos com 17,3 por cento, pneumococo com 15,5 por cento, outros agentes com 8,2 por cento por cento e indeterminada com 34,5 por cento. O hemofilos afetou so criancas menores de cinco anos; O meningococo afetou todas as faixas etarias e pneumococo afetou predominantemente criancas menores de cinco anos. O sexo masculino foi o mais atingido pelo pneumococo, as custas da faixa etaria menor de l ano. Do total, 78 por cento tinham ate cinco anos, e 47,3 por cento eram lactentes de ate 12 meses. Nao houve diferenca estatistica no estudo comparativo entre os sexos. Em geral, os sintomas e sinais mais importantes foram: febre com 92,7 por cento vomitos com 79,1 por cento irritabilidade com 57,3 por cento recusa alimentar com 57,3 por cento cefaleia com respiratorios com 45,5 por cento otite com 19,1 por cento e BCP com 7,3 por cento. Os sinais neurologicos mais importantes foram: rigidez de nuca 75 por cento, alteracao da consCiência 60 por cento fontanela tensa e ou abaulada 29,1 por cento, convulsoes na pre-admissao 15,5 por cento e convulsoes antes da internacao 17,3 por cento; 26,4 por cento dos pacientes apresentaram convulsoes na fase aguda. Na associacao entre sintomas e sinais e grupos etarios, a irritabilidade, convulsoes, recusa alimentar, gemencia, fontanela tensa e ou abaulada apresentam incidencia significante nas criancas de ate 12 meses. Os vomitos , cefaleia, rigidez de nuca sao mais definidos e de maior incidencia nas criancas acima de um ano de idade. Outros sintomas e sinais como: febre, alteracoes da consCiência, sintomas respiratorios , choque, otite, BCP nao mostraram diferencas significantes. No estudo da relacao comparativa dos sintomas e sinais, com o tempo de historia na pre-admissao e o agente etiologico, apenas a irritabilidade e os sintomas respiratorios tiveram significacao estatistica nas criancas com historia maior de 48 horas, e a presenca de cefaleia no meningococo . A maioria de sintomas e sinais antes da internacao nao mostraram diferenca estatistica significante em relacao com o tempo de historia na pre-admissao. Mas os pacientes com historia maior do que 48 horas na pre-admissao, apresentaram maior...(au)
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2000. 149 p. tab.