Avaliação do impacto dos valores da concentração inibitória mínima para Vancomicina no desfecho clínico de pacientes com infecção da corrente sanguínea por Staphylococcus aureus resistente a Meticilina no Hospital Universitário da Universidade Federal de São Paulo

dc.audience.educationlevelDoutorado
dc.contributor.advisorFurtado, Guilherme Henrique Campos [UNIFESP]
dc.contributor.authorSilva, Juliana Oliveira Da [UNIFESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulopt
dc.date.accessioned2022-07-21T16:17:28Z
dc.date.available2022-07-21T16:17:28Z
dc.date.issued2020-12-17
dc.description.abstractIntroduction: Vancomycin represents one of the main or, if not the first therapeutic option for the treatment of infections caused by methicillin-resistant Staphylococcus aureus (MRSA) in several health services. However, its use in clinical practice is questioned in view of minimum inhibitory concentrations greater than 1.0 mg/L (MIC-V), with evidence of treatment failure and increased mortality reported for these isolates considered sensitive to vancomycin. Objective: The aim of this study was to evaluate patients with MRSA bloodstream infections and to compare the clinical outcome between patients with MIC-V> 1 mg/L and ≤ 1 mg/L, in addition to knowing the epidemiology of MRSA bloodstream infections at the University Hospital of Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) - Hospital São Paulo (HSP) during the period from 2011 to 2015. The institutional empirical therapy, the time of introduction of the glycopeptide for treatment and the impact on the clinical outcome of MRSA bloodstream infections were also evaluated. Material and Method: A retrospective study was carried out, with analysis of data from medical records of all patients who were diagnosed with bloodstream infection by MRSA at Hospital São Paulo from 2011 to 2015. Results: A total of 238 patients with MRSA bloodstream infections were evaluated over a five-year period. The overall mortality among patients with MRSA bloodstream infections was 28.6% in 28 days. 60 isolates (25.2%) presented MIC-V> 1 mg/L. Among patients who presented MRSA bloodstream infections with MIC-V> 1 mg/L, 28-day mortality was 21.7% (13/60 patients), and among patients with MRSA bloodstream infections with MIC-V ≤ 1 mg/L, mortality was 30.9% (55/178), p= 0.171. In our cohort, the variables associated with 28-day mortality were age, chronic obstructive pulmonary disease (COPD), Pitt's bloodstream infections score at the time of identification of MRSA infection, use of cephalosporins in empirical therapy and inadequate final therapy. Conclusions: The overall mortality among patients with MRSA bloodstream infections at the university hospital in the evaluated period was 28.6% in 28 days. Some studies have shown that there is a relationship between treatment failure and mortality between infections caused by MRSA and MIC-V > 1 mg/L, although the isolates are sensitive to vancomycin. The present study demonstrates that the analysis of the MIC-V values alone does not represent enough evidence to guide changes in current clinical practice in the treatment of MRSA infections and that other variables can be used to establish the prognosis of these infections in relation to mortality. The CIM-V itself has very variable values depending on the method used to obtain it. The disclosure of institutional protocols and their use must be guaranteed to achieve the effectiveness of vancomycin and, with that, obtain better clinical outcomes with the reduction of mortality from these infections.en
dc.description.abstractIntrodução: A vancomicina representa uma das principais ou, senão a primeira opção terapêutica para o tratamento de infecções causadas por Staphylococcus aureus resistentes à meticilina (SARM) em diversos serviços de saúde. Entretanto, sua utilização na prática clínica é questionada diante de concentrações inibitórias mínimas maiores que 1.0 mg/L (CIM-V), com evidências de falência no tratamento e aumento de mortalidade reportadas para estes isolados considerados sensíveis à vancomicina. Objetivos: O objetivo deste estudo foi avaliar pacientes com bacteremia por SARM e comparar desfecho clínico entre pacientes com CIM-V > 1 mg/L e ≤ 1 mg/L além de conhecer a epidemiologia das infecções de corrente sanguínea por SARM no Hospital Universitário da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) - Hospital São Paulo (HSP) durante o período de 2011 a 2015. Também foi avaliada a terapêutica empírica institucional, o tempo da introdução do glicopeptídeo para tratamento e o impacto no desfecho clínico das bacteremias por SARM. Material e Método: Foi realizado um estudo retrospectivo, com análise de dados de prontuário médico de todos os pacientes que tiveram diagnóstico de infecção da corrente sanguínea por SARM no Hospital São Paulo no período de 2011 a 2015. Resultados: Foram avaliados 238 pacientes com bacteremia por SARM no período de cinco anos. A mortalidade geral entre os pacientes com bacteremia por SARM foi de 28,6% em 28 dias. 60 isolados (25,2%) apresentaram CIM-V > 1 mg/L. Entre os pacientes que apresentaram bacteremia por SARM com CIM-V > 1 mg/L, a mortalidade em 28 dias foi de 21,7% (13/60 pacientes) e, entre os pacientes com bacteremia por SARM com CIM-V ≤ 1 mg/L, a mortalidade foi de 30,9% (55/178), p= 0.171. Em nossa coorte, as variáveis associadas com mortalidade em 28 dias foram a idade, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), escore de bacteremia de Pitt no momento da identificação da infecção por SARM, uso de cefalosporinas na terapia empírica e terapia final inadequada. Conclusões: A mortalidade geral entra pacientes com bacteremia por SARM no hospital universitário no período avaliado foi de 28,6% em 28 dias. Alguns estudos demonstraram que há uma relação entre falha de tratamento e mortalidade entre as infecções por SARM e CIM-V > 1 mg/L, apesar dos isolados serem sensíveis à vancomicina. O presente estudo demonstra que a análise dos valores da CIM-V isoladamente não representa evidência suficiente para orientar mudança da prática clínica atual no tratamento de infecções por SARM e que outras variáveis podem ser utilizadas para estabelecer o prognóstico dessas infecções em relação a mortalidade. A CIM-V por si, tem valores muito variáveis a depender do método utilizado em sua obtenção. Deve-se garantir a divulgação de protocolos institucionais e sua utilização para se alcançar a eficácia da vancomicina e com isso, obter melhores desfechos clínicos com a redução da mortalidade por essas infecções.pt
dc.description.sourceDados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2020)
dc.format.extent36 p.
dc.identifierhttps://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=10439112
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/11600/64311
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectStaphylococcus Aureuspt
dc.subjectMeticilinapt
dc.subjectVancomicinapt
dc.subjectInfecção Da Corrente Sanguíneapt
dc.titleAvaliação do impacto dos valores da concentração inibitória mínima para Vancomicina no desfecho clínico de pacientes com infecção da corrente sanguínea por Staphylococcus aureus resistente a Meticilina no Hospital Universitário da Universidade Federal de São Paulopt
dc.typeTese de doutorado
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt
unifesp.graduateProgramInfectologiapt
unifesp.knowledgeAreaPerspectivas De Controle E Tratamento De Doenças Infecciosaspt
unifesp.researchAreaEstratégias De Prevenção E Controle De Doenças Infecciosaspt
Arquivos