Fatores de risco para obesidade e composição corporal de adolescentes com excesso de peso matriculados em escolas públicas

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2008
Autores
Silveira, Daniela [UNIFESP]
Orientadores
López, Fábio Ancona [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: A epidemia da obesidade entre crianças e adolescentes esta tendo de forma alarmante. A obesidade é o principal fator de risco para doenças crônicas, como as cardiovasculares, o diabetes, a hipertensão arterial e também esta associada ao desenvolvimento de câncer de cólon e de mama. Apesar da magnitude do problema, poucos estudos tem quantificado os fatores de para obesidade entre adolescentes. Métodos: Estudo caso-controle com 128 adolescentes obesos (IMC ≥ 95) e 151 adolescentes eutróficos (P05 < IMC < P85) de 14 a 19 anos, matriculados em escolas públicas da cidade de São Paulo, Brasil, pareados por bloco, de acordo com a idade e 0 sexo. Nutricionistas e pediatras treinados coletaram os dados com a aplicação de um questionário pré-testado e realizaram medidas antropométricas. Entre os dados familiares e de comportamento disponíveis, seis variáveis apresentaram significância estatística (p < 0,05) e foram incluídas no modelo final de regressão logística não-condicional. Resultados: A chance de apresentar obesidade foi 3,42 (IC:1,91-6,10) vezes maior entre os adolescentes que tinham pelo menos um dos pais obesos. Ter sido obeso na infância aumentou essa chance em 4,48 vezes (IC:1 ,96-10,25). Pertencer a uma família com renda mensal menor que 770 dólares, ser o primogênito, ter 0 hábito de dormir durante 0 dia e praticar atividade física menos 3 vezes par semana aumentaram a chance de apresentar obesidade em 4,69 1,51-8.16), 3,16 (IC: 1,20-8,34), 2,54 (lC: 1,33-4,85) e 2,65 (IC: 1,25-5,62) Conclusão: Este estudo, pioneiro em quantificar fatores de risco para obesidade na adolescência em uma sociedade em desenvolvimento, demonstrou que entre adolescentes urbanos de nível sócio-econômico baixo, aqueles pertencentes às famílias mais carentes tem maior risco de se tornarem obesos. Programas de prevenção da obesidade, baseados na promoção de estilo de vida saudável, são necessários para evitar incapacidades precoces e mortes prematuras..
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2008. 164 p.