Efeito da hiperosmolaridade na expressao de glicosaminoglicanos em celulas IMCD

dc.contributor.authorSouza, Carolina Melo de [UNIFESP]
dc.date.accessioned2015-12-06T23:04:41Z
dc.date.available2015-12-06T23:04:41Z
dc.date.issued2003
dc.description.abstractA habilidade de adaptacao a condicoes adversas e uma caracteristica fundamental das especies vivas como bacterias, plantas e animais. A variacao de osmolaridade do meio constitui-se num estresse ubiquo para todas as especies vivas e esta presente desde a transicao da vida exclusivamente marinha ate a conquista do meio terrestre. A resposta celular ao estresse hiperosmotico foi filogeneticamente preservada e aprimorada, portanto esse e um bom modelo para o estudo de adaptacao. Durante o processo de adaptacao cronica a hiperosmolaridade a linhagem celular mIMCD3 (murine Inner Medullary Collecting Duct) apresenta alteracoes bioquimicas tais como (acumulo de osmois organico e sintese de °Heat Shock Proteins). Os osmois organicos tem a capacidade de aumentar a osmolaridad celular sem causar danos as suas estruturas e funcoes. As Heat Shock Proteins atuam como chaperonas moleculares ligando-se a peptideos desnaturados e auxiliando na aquisicao da conformacao terciaria das proteinas. Alem disso, as celulas cronicamente adaptadas apresentam um retardo no ciclo celular e uma diminuicao da sintese de proteinas. Nao existem trabalhos relacionando componentes da superficie celular e matriz extracelular em celulas da linhagem mIMCD3 cronicamente adaptadas a hiperosmolaridade. Assim, o objetivo desse trabalho e estudar possiveis alteracoes na sintese de proteoglicanos por celulas da linhagem mIMCD3 cronicamente adaptadas a hiperosmolaridade. Para a adaptacao o meio de cultura foi suplementado com uma solucao equimolar de NaCl e ureia, cuja concentracao aumentava progressivamente a cada dois ou quatro dias. Culturas confluentes eram entao metabolicamente marcadas com [35S]-sulfato. A identificacao e quantificacao dos proteoglicanos e glicosaminoglicanos foi realizada atraves de eletroforese em gel de agarose. A celula IMCD-iso (controle: ~310mOsm) sintetiza e secreta para o meio de cultura heparam sulfato e condroitim sulfato. Curiosamente, quando essas celulas atingem a adaptacao maxima (IMCD HT: ~1060mOsm) a sintese de condroitim sulfato e totalmente abolida, o que nao ocorre com a sintese dea(au)pt
dc.description.sourceBV UNIFESP: Teses e dissertações
dc.format.extent62 p.
dc.identifier.citationSão Paulo: [s.n.], 2003. 62 p.
dc.identifier.fileepm-11629.pdf
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19965
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectGlicosaminoglicanaspt
dc.subjectHeparitina Sulfatopt
dc.subjectSulfatos de Condroitinapt
dc.subjectAdaptaçãopt
dc.titleEfeito da hiperosmolaridade na expressao de glicosaminoglicanos em celulas IMCDpt
dc.title.alternativeEffect of hyperosmolarity expression of glycosaminoglycans of IMCD cellsen
dc.typeDissertação de mestrado
unifesp.campusUniversidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicinapt
Arquivos
Coleções