Páginas Libertárias: a representação do anarquismo nos livros didáticos de história (1990-2020)

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2023-08-15
Autores
Souza, Ana Maria Anunciato [UNIFESP]
Orientadores
Toledo, Maria Rita de Almeida [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado profissional
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
A presente dissertação tem como objetivo mapear e analisar os discursos e representações do anarquismo produzidos pelos livros didáticos entre 1990 e 2020, compreendendo como os ideais ácratas figuram nos conteúdos escolarizados pela disciplina de história e quais discursos engendram, suas mudanças e permanências à luz da conjuntura histórica, considerando a relevância das ideias libertárias para pensar os conceitos de liberdade, antiautoritarismo, cooperativismo, apoio-mútuo e autogestão construídos historicamente. Identificando as representações e estratégias de apropriação dos discursos históricos não escolarizados sobre o anarquismo, reconhecendo as formas narrativas que os comportam e sua relação dialógica com as produções acadêmicas, considerando a circulação dos saberes no processo, evidenciada pela intertextualidade observada nas fontes utilizadas. Instrumentalizando os conceitos de circularidade da cultura proposto por Mikhail Bakhtin, do reconhecimento das estratégias de apropriação e (re)figuração da história, de Michel de Certeau e representação formulada por Roger Chartier, analisamos as narrativas produzidas nos livros didáticos de história sobre o movimento ácrata e os discursos que engendram. Utilizando-nos dos conceitos de representação e apropriação, elaboramos uma análise da presença do anarquismo, suas mudanças, permanências e descontinuidades nas narrativas históricas escolarizadas, tendo em perspectiva seu contexto de produção e consumo.
Descrição
Citação
Souza, Ana Maria Anunciato