Avaliação da resposta a vacina anti-pneumocócica em portadores de púrpura trombocitopenica imunológica crônica

dc.contributor.advisorLourenço, Dayse Maria [UNIFESP]
dc.contributor.authorVignal, Carla Valladares [UNIFESP]
dc.date.accessioned2015-12-06T23:00:35Z
dc.date.available2015-12-06T23:00:35Z
dc.date.issued1999
dc.description.abstractA PTI cronica e uma doenca autoimune cujas principais formas de terapeutica incluem o uso de corticosteroides e/ou a esplenectomia. O objetivo deste trabalho foi verificar a resposta dos portadores de PTI a vacina anti-pneumocococica, e o papel da corticoterapia e da esplenectomia nesta resposta. Os 55 pacientes foram divididos em 3 grupos: Grupo I (GI) - 34 pacientes sem corticoides, 9 homens e 25 mulheres, com idade entre 13 e 70 anos (media=36 anos); Grupo II (GII) - 12 pacientes em uso de corticoides, 4 homens e 8 mulheres, com idade de 16 a 59 anos (media=34 anos) e Grupo III (GIII) - 9 pacientes esplenectomizados, sem corticoide, todos do sexo feminino, com idade entre 32 a 72 anos (media=52 anos). O grupo controle (C) foi composto por 13 individuos saudaveis, 3 homens e lO mulheres, com idade de 26 a 54 anos (media=34anos). A vacina anti-pneumococica (Pneumo23- Pasteur-Merieux©) foi aplicada em dose unica de O,5 ml, no musculo deltoide. As amostras de sangue foram colhidas imediatamente antes (DO) e 4 semanas apos a vacinacao (D28). O anticorpo IgG especifico contra pneumococos (AAP) foi avaliado por tecnica de ELISA de quimioluminescencia, com a vacina como antigeno. Os resultados foram expressos em unidades arbitrarias de AAP, e foi considerada resposta a elevacao na amostra pos-vacina, igual ou maior que 2 vezes o valor basal de AAP. Os titulos de AAP nas amostras DO nao foram diferentes entre os grupos (Kruskal-Waillis, p=O,22). Todos os grupos apresentaram elevacao significante nos titulos de AAP apos a vacinacao (Wilcoxon, p<O,Ol). Apesar da tendencia, nao houve diferenca significativa na frequencia d resposta entre pacientes (75 por cento) e controles (lOO por cento) (Fisher, p=O,O55). Quatorze pacientes (25 por cento) nao responderam a vacinacao - 9 no GI, 2 no GII e 3 no GIII Seis pacientes (11 por cento) nao apresentavam niveis detectaveis de AAP na amostras pre e pos-vacinacao. A principal diferenca foi observada nos pacientes esplenectomizado (GIII), que apresentaram menor resposta e diferenca significante e comparacao aos pacientes em uso de corticoide (GII) (Mann-Whitney, p=O,O4) e forte tendencia comparados aos controles (Mann-Whitney, p=O,O57). Observamos que 63,6 por cento dos pacientes referiram a ocorrencia de efeito colaterais locais, a maioria com dor leve no local da aplicacao (47,2 por cento). Nao houve diferenca na frequencia de efeitos colaterais entre pacientes e controle (Fisher, p=O,l9) Com estes dados, ...(au)pt
dc.description.sourceBV UNIFESP: Teses e dissertações
dc.format.extent83 p.
dc.identifier.citationSão Paulo: [s.n.], 1999. 83 p. ilustab.
dc.identifier.fileepm-016143.pdf
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16431
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectPúrpura trombocitopênica idiopáticapt
dc.subjectInfecções pneumocócicaspt
dc.subjectVacinaçãopt
dc.subjectStreptococcus pneumoniaept
dc.subjectPurpura, thrombocytopenic, idiopathicen
dc.subjectPneumococcal infectionsen
dc.subjectVaccinationen
dc.titleAvaliação da resposta a vacina anti-pneumocócica em portadores de púrpura trombocitopenica imunológica crônicapt
dc.title.alternativeResponse of autoimune thromboytopenic purpura patients to immunization with 23-valent pneumococcal vaccineen
dc.typeTese de doutorado
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt
unifesp.graduateProgramMedicina (Hematologia)
Arquivos