Termoluminescência e luminescência opticamente estimulada da calcita natural amarela

dc.contributor.advisorTatumi, Sonia Hatsue [UNIFESP]
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/5410340106554020pt_BR
dc.contributor.authorGuilheiro, Joice Marques [UNIFESP]
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9906565818359453pt_BR
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.coverage.spatialSantospt_BR
dc.date.accessioned2022-10-19T16:34:58Z
dc.date.available2022-10-19T16:34:58Z
dc.date.issued2022-06-29
dc.description.abstractObjetivos: Caracterização da estrutura cristalina da amostra de calcita, com a finalidade de possível uso na dosimetria ambiental e datação geológica. Métodos: Para caracterizar a estrutura cristalina do mineral, foram realizados os testes de DRX, de TL e de LOE, para o estudo da termoluminescência na luz visível e no espectro UV e o teste de fotoluminescência. Resultados: O teste de DRX demonstraram compatibilidade da amostra do estudo com estrutura a calcita. A emissão de TL foi detectada no espectro UV e espectro visível, com picos detectados em 92,9, 118,9 e 150 ºC. Ambos os espectros apresentaram boa resposta à irradiação beta entre 5 Gy e 41 Gy. Na região UV, a TL resultou picos em 90 ºC e 125 ºC. Todos os picos aumentam com a irradiação beta. Os experimentos de branqueamento demostraram que a emissão de LOE estar relacionados aos picos de baixas temperaturas detectados na TL. Protocolos de doses aditivas para emissão de LOE apresentam crescimento linear para doses acima de 100 Gy e o resultado da amostra de regeneração total de curva apresentou uma boa resposta a dose de 4,3 Gy. A LOE de calcita também aumenta com a radiação e sua emissão da LOE pode ser correlacionada com os picos da TL de 90 ºC e 125 ºC. Os resultados das medidas do espectro de emissão com estímulos em 350 nm, exibidos em 4 bandas largas em 413, 440, 470 e 486 nm e, uma pequena banda de 300 nm, que podem ser associadas com as vacâncias de oxigênio e defeitos em Me-O. Através da análise do diagrama CIE, provou-se que a radiação promove uma mudança na cor emitida pela amostra de azul para púrpura-azulado. Conclusão: A amostra analisada neste trabalho apresentou emissões luminescentes tanto na TL quanto na LOE, tornando possível seu uso na dosimetria de radiações ionizantes.pt_BR
dc.description.abstractBackground: To caracterize crystalline structure of yellow calcite sample, with a purpose to use in environmental dosimetry and geological dating. Methods: XRD measurement was performed to verify the crystalline structure of the sample. TL UV and Vis spectrum, OSL UV and Vis spectrum, and photoluminescence emission measurements were performed. Results: XRD confirmed that sample has calcite crystalline structure. TL emission was detected with peaks at 92,9, 118,9, and 150 ºC. All peaks responded in the range between 5 and 41 Gy. In TL region UV, presented two peaks, at 90 ºC and 125 ºC, and it increased with beta irradiation. The bleaching experiments demonstrated that OSL emission was related with low temperature peaks. Ad- ditive dose protocol for OSL emission showed linear growth up to a dose about 100 Gy, and in the result of the total regeneration curve the sample showed a reasonable response to a dose of 4,3 Gy. The OSL responded growth up with radiation, and your emission can be associated with TL peaks at 90 ºC and 125 ºC. The results of PL with excitation at 350 nm, exhibited four broad bands at 413, 440, 470, and 486 nm, and a small one at 300 nm, which can be associated with oxygen vacancies and Me–O defects. Through the analysis of the CIE diagrams, it was proven that the irradiation promoted a change in the color emitted by the sample from blue to purplish blue. Conclusion: The sample analyzed in this present work showed emissions in both TL and LOE, which makes the sample usable in the dosimetry of ionizing radiation.en
dc.format.extent56 f.pt_BR
dc.identifier.citationGUILHEIRO, Joice Marques. Termoluminescência e luminescência opticamente estimulada da calcita natural amarela. 2022. 56 f. Tese (Doutorado Interdisciplinar em Ciências da Saúde) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2022.pt
dc.identifier.otherProcesso SEI 23089.019062/2022-81pt
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/handle/11600/65775
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulopt_BR
dc.rightsAcesso abertopt_BR
dc.subjectTermoluminescênciapt_BR
dc.subjectLuminescência opticamente estimuladapt_BR
dc.subjectCalcita natural amarelapt_BR
dc.subjectFotoluminescênciapt_BR
dc.subjectCinética de ordem geralpt_BR
dc.subjectThermoluminescenceen
dc.subjectOptically stimulated luminescenceen
dc.subjectNatural yellow calciteen
dc.subjectPhotoluminescenceen
dc.subjectOrder kinetic theoryen
dc.titleTermoluminescência e luminescência opticamente estimulada da calcita natural amarelapt_BR
dc.title.alternativeThermoluminescence and Optically stimulated luminescence of natural yellow calciteen
dc.typeTese de doutoradopt_BR
unifesp.campusInstituto de Saúde e Sociedade (ISS)pt_BR
unifesp.graduateProgramInterdisciplinar em Ciências da Saúdept_BR
unifesp.knowledgeAreaMecanismos Básicos e Processos Biológicos em Saúdept_BR
unifesp.researchAreaEstratégias interdisciplinares na pesquisa experimental de doenças crônicaspt_BR
Arquivos
Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
Tese_Joice Marques Guilheiro_PDFA.pdf
Tamanho:
1.17 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format
Descrição:
Tese de doutorado
Licença do Pacote
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
license.txt
Tamanho:
5.7 KB
Formato:
Item-specific license agreed upon to submission
Descrição: