Representações de estudantes de pedagogia sobre sexualidade: Construindo scripts sexuais

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2024
Autores
Godoi, Ana Maria Limeira de
Moraes, Silvia Piedade de
Brêtas, José Roberto da Silva
Orientadores
Tipo
Livro
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Este livro surge como resultado de uma pesquisa de doutorado na área de educação em saúde e educação em sexualidade, realizada pelo Programa de Pós-Gradução Educação e Saúde na Infância e na Adolescência da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A organização dos capítulos obedeceu a ordem de uma tese de doutorado. Foi realizado uma pesquisa qualitativa e teve como objetivo compreender as representações sociais sexuais representados pelos estudantes do curso de pedagogia, descobrir a compreensão dos estudantes sobre o conteúdo sexualidade no currículo de formação de pedagogos e conhecer as representações sociais dos estudantes sobre a educação em sexualidade no currículo escolar. Participaram do estudo 22 discentes do curso de pedagogia, do sexo feminino e masculino, com idade entre 19 anos e 54 anos. O local do estudo foi realizado no município de Guarulhos sendo que 11 discentes estavam no curso de pedagogia da Universidade Federal de São Paulo e os outros 11 discentes eram da Universidade de Guarulhos. Como aporte teórico-metodológico utilizou-se a Teoria das Representações Sociais e o Teoria dos Scripts Sexuais. As narrativas foram organizadas em oito temas: Diversidades sexuais; Violências de gênero; Caminhos para o conhecimento; Desenvolvimento da sexualidade humana; Violência sexual infantil; Pais x educadores: no âmbito do medo; Formação continuada e Fluidez das gerações. O estudo conclui que para os discentes as representações sobre sexualidade estão baseadas principalmente na questão da orientação sexual, diversidade sexual e desenvolvimento da sexualidade, A sexualidade é representada pela maioria como processo de conhecimento, saber quais são os seus íntimos desejos e uma forme de empoderamento. Os/as discentes consomem ainda muito do que é dito pelo senso comum. Mesmo representados pelos/as estudantes conveniente às expectativas sociais desejadas, ou seja, as práticas sexuais são conduzidas dentro da lógica da heteronormatividade. A principal representação que dos/as estudantes têm sobre educação em sexualidade no currículo escolar foi marcada pelo medo e a censura. A formação continuada é percebida como uma forma de obter conhecimento, mesmo que tardio, para terem ferramentas para trabalhar educação em sexualidade nas escolas.
Descrição
Citação
Godoi, A. M. L., Moraes, S. P., & Brêtas, J. R. S. (2024). Representações de estudantes de pedagogia sobre sexualidade: Construindo scripts sexuais. UNIFESP. https://doi.org/10.34024/9786585919203
Coleções