As agências de risco político a serviço do poder estatal: uma perspectiva crítica a partir da visão de Yves Lacoste

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2023-01-10
Autores
Silva, Pedro Ernesto de Freitas [UNIFESP]
Orientadores
Hage, José Alexandre Altahyde [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso de graduação
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
A busca por novos mercados, mão de obra competitiva e acesso a suprimentos tem feito o setor privado global se internacionalizar, gerando uma necessidade de adaptação dos seus negócios a contextos políticos divergentes para se manter competitivo. Este fato tem gerado um aumento na demanda por análises e explicações que traduzam o que acontece no ambiente político para o mundo corporativo, incluindo na gestão privada o chamado planejamento estratégico, uma variação do poder estatal. Este processo é chamado de análise de risco político, cuja atuação é feita por agências especializadas, que se concentram nos EUA e Reino Unido desde os anos 1990 e que possuem como clientes grandes empresas e corporações multinacionais. Neste contexto, este trabalho irá se aprofundar na problematização das atividades destas agências a partir das lentes de Yves Lacoste, geógrafo famoso por questionar o saber geográfico, e de Susan Strange, expoente da economia política internacional. Assim, o saber dessas instituições será problematizado a fim de analisar a relação destas com os governos nacionais de grandes potências, em especial os EUA. O objetivo deste artigo é ser, sobretudo, do tipo aplicado e exploratório, uma vez que ainda há uma carência de bibliografia nessa área e por haver uma demanda crescente desse tipo de material e serviço por parte das grandes empresas brasileiras e estrangeiras. Será utilizado o método de revisão bibliográfica com abordagem qualitativa, para analisar a literatura especializada, expor os conceitos de forma coerente e contribuir para esse novo campo de pesquisa nas relações internacionais.
The search for new markets, competitive labor and access to supplies has made the global private sector internationalize itself, generating a need to adapt its businesses to divergent political contexts in order to remain competitive. This fact has generated an increase in demand for analyzes and explanations that translate what happens in the political environment to the corporate world, including in private management the so-called strategic planning, a variation of state power. This process is called political risk analysis, which is carried out by specialized agencies, which have focused on the US and UK since the 1990s and whose clients are large companies and multinational corporations. In this context, this work will delve deeper into the questioning of the activities of these agencies from the perspective of Yves Lacoste, a geographer famous for questioning geographic knowledge, and Susan Strange, an exponent of international political economy. Thus, the knowledge of these institutions will be problematized in order to analyze their relationship with the national governments of great powers, especially the USA. The objective of this article is to be, above all, of the applied and exploratory type, since there is still a lack of bibliography in this area and because there is a growing demand for this type of material and service by large Brazilian and foreign companies. The bibliographic review method will be used with a qualitative approach, to analyze the specialized literature, expose the concepts in a coherent way and contribute to this new field of research in international relations.
Descrição
Citação
SILVA, Pedro Ernesto de Freitas e. As agências de risco político a serviço do poder estatal: uma perspectiva crítica a partir da visão de Yves Lacoste. 2023. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Relações Internacionais) - Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Política, Economia e Negócios, Osasco, 2023.