Abordagem profissional e o comportamento suicida na atenção primária à saúde

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2023
Autores
Frangonari, Tatiane Ferrari [UNIFESP]
Orientadores
Domingos, Thiago da Silva [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso de graduação
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objetivo: identificar as intervenções terapêuticas dos profissionais da Atenção Primária à Saúde frente ao comportamento suicida e as associações entre as variáveis sociodemográficas, acadêmicas e ocupacionais. Método: estudo transversal. Participaram 192 profissionais de saúde de 20 Unidades Básicas de Saúde de um município da grande São Paulo. Foram aplicados um questionário para caracterização sociodemográfica, acadêmica e ocupacional, e a Avaliação da Assistência Profissional às Pessoas com Comportamento Suicida. Os resultados foram apresentados por meio de medidas de tendência central e dispersão, e a análise utilizou testes paramétricos e não-paramétricos, considerando a natureza das variáveis. Utilizou-se um nível de significância de 5%. Resultados: houve predominância do sexo feminino, média etária de 43,27 anos, com nível superior e tempo médio de trabalho de 10,71 anos. Entre os domínios, Percepção Profissional e Conhecimento/Habilidade, obtiveram as maiores pontuações. As variáveis idade, tempo de atuação na unidade e a frequência com que são atendidas as populações de risco para o comportamento suicida estiveram associadas às pontuações nos domínios percepção profissional, experiência e conhecimento/habilidade. Conclusão: o comportamento suicida na Atenção Primária à Saúde é considerado favoravelmente na perspectiva dos profissionais de saúde, bem como, seus conhecimentos e habilidades. A experiência profissional e a organização da rede de atenção denunciam as fragilidades para a articulação da assistência ao comportamento suicida nos cuidados primários.
Descrição
Citação
Coleções