Avaliação da maturação esquelética em vértebras cervicais: uma comparação na utilização de tomografia computadorizada e telerradiografia

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2024-03-08
Autores
Prade, Katia Regina [UNIFESP]
Orientadores
Cappellette Junior, Mario [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objetivo: Este estudo observacional analítico teve como proposta comparar a utilização de imagens de tomografias computadorizadas multislice com imagens de radiografias cefalométricas laterais na avaliação da maturação de três vértebras cervicais - C2, C3 e C4 -, em pacientes que se encontravam no período de crescimento e que possuíam indicação para tratamento ortodôntico. Método: Foram utilizadas amostras coletadas de um banco de dados, sendo 33 radiografias cefalométricas laterais e 33 tomografias computadorizadas multislice de pacientes que realizaram os dois exames, com idades entre 6,6 e 13,4 anos de ambos os sexos. As imagens de tomografia computadorizada multislice e de radiografia cefalométrica lateral foram transportadas para o software ITK-SNAP e analisadas por dois avaliadores com base no Índice de Maturação das Vértebras Cervicais, segundo o método de Hassel e Farman para avaliação e categorização de maturação óssea. Os valores do índice de maturação das vértebras cervicais das tomografias computadorizadas multislice, foram classificados e comparados com os respectivos valores das radiografias cefalométricas laterais. Foi realizado teste de confiança intra-avaliador e interavaliador para cada um dos exames utilizados, levando em consideração os critérios de comparabilidade e replicabilidade do método na determinação da idade esquelética. Resultados: Em relação ao erro intra-avaliador, não ocorreram diferenças estatisticamente significativas entre as médias da primeira e segunda medições. Os valores do coeficiente de correlação intraclasse foram todos superiores a 0,87. Quanto ao erro interavaliador das medidas avaliadas, o valor de significância dos testes t de Student para amostras pareadas foram todos superiores a 0,05 (p > 0,05), com valores do coeficiente de correlação intraclasse maiores que 0,90, tanto para as medições em radiografia cefalométrica lateral como em tomografia computadorizada multislice, indicando que não existem diferenças estatisticamente significativas entre as médias da primeira medição e as médias da repetição pelo segundo avaliador. Em relação à classificação das fases da maturação óssea, registrou-se uma concordância muito boa entre as classificações da radiografia cefalométroca lateral e da tomografiacomputadorizada multislice, com um coeficiente Kappa de 0,835 e uma porcentagem de concordância de 87,9%, sendo 29 acertos em 33 avaliações. Conclusão: Os resultados obtidos sugerem que não há diferenças estatisticamente significativas entre os dois exames. Recomenda-se, portanto, o uso de telerradiografias com o único propósito de reduzir a exposição dos pacientes à doses maiores de radiações.
Objective: This analytical observational study was proposed to compare the use of multislice computed tomography images with images of lateral cephalometric radiographs in the assessment of the maturation of three cervical vertebrae - C2, C3, and C4 - in patients that were in the growth period, and which indicated for orthodontic treatment. Method: Samples collected from a database were used, 33 lateral cephalometric radiographs and 33 computed tomography of patients who performed both exams, aged 6.6 to 13.4 years, of both genders. Computed tomography and lateral cephalometric radiograph images were transported to ITK-SNAP software and analyzed for bone maturation categorization according to the Hassel and Farman method by two evaluators based on the cervical vertebrae maturation index. Cervical vertebrae maturation index values of the computed tomography were classified and compared to the respective values of the lateral cephalometric radiograph. Intra-evaluator and inter-evaluator trusted tests were performed for each of the exams used, considering the criteria of comparability and replicability of the method in determining skeletal age. Results: Regarding intra-evaluator error, there were no statistically significant differences between the averages of the first and second measurements. Intraclass correlation coefficient values were all greater than 0.87. Regarding the interacting error of the evaluated measures, the significance value of Student T-tests for paired samples was all over 0.05 (p> 0.05), with values intraclass correlation coefficient greater than 0.90, both for measurements in lateral cephalometric radiograph as in computed tomography, indicating that there are no statistically significant differences between the averages of the first measurement and the averages of repetition by the second evaluator. Regarding the classification of bone maturation phases, there was an excellent agreement between lateral cephalometric radiography and computed tomography classifications, with a 0.835 Kappa coefficient and a percentage of agreement of 87.9%, achieving 29 correct answers out of 33 evaluations. Conclusion: The results suggest no statistically significant differences between the two exams. Therefore, teleradiographs should be used solely to reduce patient exposure to higher radiation doses.
Descrição
Citação
PRADE, Katia Regina. Avaliação da maturação esquelética em vértebras cervicais: uma comparação na utilização de tomografia computadorizada e telerradiografia. 2024. 109 f. Dissertação (Mestrado em Otorrinolaringologia) - Escola Paulista de Medicina. Universidade Federal de São Paulo, São Paulo. 2024.