Avaliação de alterações da matriz extracelular em cultura de células após laserterapia

dc.contributor.advisorPinhal, Maria Aparecida da Silva [UNIFESP]
dc.contributor.authorAlmeida, Maria Carolina Leal [UNIFESP]
dc.date.accessioned2015-12-06T23:46:08Z
dc.date.available2015-12-06T23:46:08Z
dc.date.issued2013
dc.description.abstractA pele corresponde ao orgao de maior exposicao a radiacao por diferentes tipos de luz. Alguns estudos demonstram o efeito de terapias de luz laser de baixa intensidade em determinadas afeccoes da pele como manchas, processos inflamatorios e em diferentes tipos de tumores. O laser de baixa potencia tem sido utilizado na pratica clinica ha aproximadamente 20 anos. A laserterapia quando utilizada em tecidos e celulas provoca efeitos fotoquimicos, fotofisicos e/ou fotobiologicos, sem a producao de calor, estimulando a proliferacao celular, ativacao de linfocitos e mastocitos, promove aumento na geracao ATP entre outros efeitos. Poucos artigos relacionam a laserterapia com as alteracoes de componentes da matriz extracelular em cultura celulares. Portanto, o presente estudo tem por objetivo investigar as possiveis alteracoes de componentes da matriz extracelular em celulas HaCaT (queratinocitos humanos) e A431 (carcinoma epidermoide humano), que representam dois tipos distintos de linhagens celulares da pele. Dentre os componentes da matriz extracelular foram analisados glicosaminoglicanos sulfatados (GAG), acido hialuronico, enzimas que participam da degradacao de heparam sulfato (heparanase) e enzimas envolvidas na degradacao e biossintese de acido hialuronico (hialuronidases e acido hialuronico sintases), respectivamente. As alteracoes dos componentes da matriz extracelular foram avaliados comparando-se celulas submetidas ao tratamento com laserterapia de baixa potencia e celulas nao tratadas (controle). A viabilidade celular de celulas HaCaT e A431 tambem foi avaliada. Os GAG sulfatados foram analisados por marcacao metabolica utilizando sulfato radioativo, degradacao enzimatica e eletroforese. O acido hialuronico foi quantificado por metodo de ELISA indireto. Ensaios de PCR em tempo real foram realizados para analise da expressao das enzimas HAS (acido hialuronico sintases) HYAL (Hialuronidases) e HPSE-1 (Heparanase). Os resultados obtidos no demonstraram diminuicao significativa na viabilidade celular em ambas as linhagens (HaCaT e A431), apos laserterapia. Houve alteracao no perfil de GAG apos tratamento com luz no comprimento de onda associado (470 e 660 nm), sendo que as celulas HaCaT apresentaram aumento significativo de heparam sulfato e condroitim sulfato. O acido hialuronico aumentou na fracao celular, apos laserterapia em celulas HaCaT, enquanto, nao foi observado alteracao nas celulas A431. A analise por qPCR demonstrou diminuicao da expressao em celulas HaCaT e das celulas A431. Os resultados obtidos em nosso estudo demonstraram que o tratamento com laserterapia de baixa intensidade altera componentes da matriz extracelular e tais alteracoes diferem com relacao ao tipo celular (celulas nao neoplasicas ou celulas de carcinoma epidermoide humano), e o comprimento de ondapt
dc.description.sourceBV UNIFESP: Teses e dissertações
dc.format.extent73 p.
dc.identifier.citationSão Paulo: [s.n.], 2013. 73 p.
dc.identifier.fileepm-3082011384698.pdf
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22722
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectHumanospt
dc.subjectTerapia a Laserpt
dc.subjectMatriz Extracelularpt
dc.subjectGlicosaminoglicanaspt
dc.subjectCarcinoma de Células Escamosaspt
dc.subjectExpressão Gênicapt
dc.subject.decsHumanospt
dc.titleAvaliação de alterações da matriz extracelular em cultura de células após laserterapiapt
dc.typeDissertação de mestrado
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt
unifesp.graduateProgramCiências Biológicas (Biologia Molecular)
Arquivos