Caracterização de isolados clínicos de Candida albicans de estudo brasileiro multicêntrico de candidemia por metodologia de “Multilocus Sequence Typing (MLST)”

dc.contributor.advisorColombo, Arnaldo Lopes [UNIFESP]
dc.contributor.authorMatta, Daniel Archimedes da [UNIFESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.date.accessioned2015-07-22T20:49:41Z
dc.date.available2015-07-22T20:49:41Z
dc.date.issued2009-09-30
dc.description.abstractThe DNA sequence-based genotyping technique multilocus sequence typing (MLST) has emerged as an alternative typing tool for C. albicans because can characterize large numbers of isolates rapidly, and does not require the subjective interpretation of banding patterns. This methodology is a very useful tool in understanding the phylogenetics and epidemiology of C. albicans strains from invasive candidiasis. Objective: Our goal was 1) to apply MLST and ABC typing to C. albicans strains recovered from bloodstream infection from public tertiary care hospitals in Brazil and 2) determine whether indistinguishable or different strains were responsible for persistent or recurrent fungemia by performing MLST and ABC typing on sequential C. albicans isolates from the same patient. Methods: We applied MLST and ABC typing, which is based on the presence or absence of an intron in the 25S rDNA region, to C. albicans strains from 61 patients with candidemia collected during a multicenter surveillance study in 11 public tertiary care hospitals, representative of the public health system of 9 of the largest cities in Brazil. We also analyzed C. albicans strains from 8 patients with persistent or recurrent candidemia. Persistent candidemia was defined as two or more blood cultures positive for C. albicans on 2 or more separate days. Recurrent candidemia was defined as an episode of candidemia occurring at least 1 month after the apparent complete resolution of an infectious episode caused by the same Candida species. Results: A total of 48 unique profiles or diploid sequence types (DST) were observed, with 10 new sequence types (STs) and 32 new DSTs. DST 69 was the most common DST isolated. C. albicans clade 1 accounted for 56% of the collection, clade 3 and clade 8 for 10% each, clades 9 and 17 for 6.5% each, and clade 12 for 5%. Clade 2, clade 4, clade 16 and a singleton strain had 1 isolate each (1.5%). For ABC typing, 82% of the isolates were classified as type A, followed for 16.5% type B and 1.5% type C. All the patients’ strains related to persistent or recurrent candidemia but one showed the same MLST diploid sequence type (DST), ABC type and susceptibility profile to antifungals in the first and second samples. One patient with 7 samples collected sequentially over 10 days showed 3 distinct strains, well discriminated by MLST. One of the 3 strains recovered from this patient showed a single C. albicans isolate found in our total collection classified as clade 2, although clade 2 is commonly found worldwide. Conclusion: More than 50% of isolates from this study form a unique set of DSTs and clade 1 was responsible for 56% of the isolates. For ABC typing, 82% of the isolates were type A. To the best of our knowledge, this is the first study describing a blood stream infection with 3 distinct C. albicans strains in the same patient within a short period of time.en
dc.description.abstractA metodologia do “Multilocus Sequence Typing (MLST)” tornou-se uma ferramenta importante para tipagem molecular para C. albicans porque esta metodologia pode caracterizar grande número de isolados rapidamente e está isenta da interpretação subjetiva de padrões de bandas em géis de eletroforese. Este método é muito útil no entendimento da filogenia e epidemiologia de cepas de C. albicans recuperadas de infecções fúngicas invasivas. Objetivos: 1) aplicar as metodologias de MLST e Tipagem ABC para isolados de C. albicans recuperados de infecções de corrente sanguínea em hospitais terciários no Brasil e 2) determinar se cepas indistinguíveis ou diferentes foram responsáveis pelos episódios de candidemia persistente ou candidemia recorrente em isolados sequenciais de mesmo paciente. Material e Métodos: Nós aplicamos a metodologia do MLST e Tipagem ABC em isolados de C. albicans de 61 pacientes com candidemia coletados durante um estudo multicêntrico realizado em 11 hospitais públicos terciários de 9 cidades brasileiras. Também foram avaliados os isolados sequenciais de 8 pacientes com candemia persistente ou recorrente. Candidemia persistente foi definido como um episódio de fungemia com duas ou mais culturas positivas para C. albicans, em 2 ou mais dias diferentes, a despeito da contínua terapia antifúngica adotada. Candidemia recorrente foi definida como um episódio de candidemia ocorrendo ao menos 1 mês após o episódio incidente e a negativação de duas hemoculturas sequenciais após introdução da terapia antifúngica, envolvendo a mesma espécie de Candida. Resultados: Um total de 48 únicos “diploid sequence types (DSTs)” foram observados, incluindo 10 novos genótipos e 32 novos DSTs. DST 69 foi o mais comum entre os nossos isolados. Isolados clado 1 responderam a 56% da nossa coleção. O clado 3 e clado 8 foram os clados com maior número de isolados depois de clado 1, ambos respondendo por 10% das amostras. O clado 9 e clado 17 foram responsáveis por 6,5% dos isolados cada um. Isolados clado 12 responderam por 5%. Foi isolada uma única cepa (1,5%) do clado 2, clado 4, clado 16 e um isolado categorizado como “solitário”. Para Tipagem ABC, 82% dos isolados foram classificados como tipo A, seguido por tipo B com 16,5% e tipo C com 1,5%. Quanto aos pacientes com candidemia persistente ou recorrente, para todos os pacientes exceto um, verificou-se a permanência dos mesmos DSTs encontrados entre a primeira e última amostra coletada. Um único paciente com coletas sequenciais pelo período de 10 dias apresentou 3 cepas distintas discriminadas pelo MLST. Uma destas 3 cepas foi a única representante do clado 2 em nosso estudo. Conclusão: Mais de 50% dos isolados deste estudo apresentaram novos DSTs, predominando o clado 1 em 56% das amostras. Para a Tipagem ABC, 82% dos isolados foram do tipo A. Este é o primeiro estudo de nosso conhecimento a descrever infecção de corrente sanguínea por 3 cepas distintas de C. albicans documentadas no período de 10 dias.pt
dc.description.sourceTEDE
dc.description.sourceBV UNIFESP: Teses e dissertações
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
dc.description.sponsorshipIDCNPq: GM/GD 142025-2005-4
dc.description.sponsorshipIDCNPq: SWE 200669/2007-9
dc.format.extent129 p.
dc.identifier.citationMATTA, Daniel Archimedes da. Caracterização de isolados clínicos de Candida albicans de estudo brasileiro multicêntrico de candidemia por metodologia de “Multilocus Sequence Typing (MLST)”. 2009. 129 f. Tese (Doutorado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2009.
dc.identifier.filePublico-9170.pdf
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9170
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso aberto
dc.subjectTipagem de sequências multilocuspt
dc.subjectMultilocus sequence typingen
dc.subjectCandidemiapt
dc.subjectCandidemiaen
dc.subjectCandida albicanspt
dc.subjectCandida albicansen
dc.titleCaracterização de isolados clínicos de Candida albicans de estudo brasileiro multicêntrico de candidemia por metodologia de “Multilocus Sequence Typing (MLST)”pt
dc.title.alternativeCharacterization of clinical isolates of Candida albicans from a multicenter Brazilian surveillance of Candidemia by Multilocus Sequence Typing (MLST) methoden
dc.typeTese de doutorado
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)
unifesp.graduateProgramInfectologia - EPM
Arquivos
Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
Publico-9170.pdf
Tamanho:
1.22 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format
Descrição: