Show simple item record

dc.contributor.advisorCecilio, Luiz Carlos de Oliveira [UNIFESP]
dc.contributor.authorCuginotti, Aloísio Punhagui [UNIFESP]
dc.date.accessioned2015-07-22T20:50:31Z
dc.date.available2015-07-22T20:50:31Z
dc.date.issued2010-02-24
dc.identifier.citationCUGINOTTI, Aloísio Punhagui. O Usuário e a Estratégia Saúde da Família de uma Operadora de Autogestão no Município de São Paulo. 2010. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9876
dc.description.abstractOBJETIVOS: Apreender a percepção do usuário acerca das novas formas de produção do cuidado através do novo modelo, Estratégia Saúde da Família (ESF), e compreender como o usuário vivencia os processos assistenciais inovadores que compõem o movimento de transição tecnológica conduzido pela Operadora de Autogestão (OAG). MÉTODO: Pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso, realizada mediante técnica de entrevista com roteiro semiestruturado, grupo focal e entrevista aberta. Iniciada após prévia aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa e assinatura, pelos participantes, do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Os sujeitos são os administradores da autogestão, os trabalhadores da unidade assistencial e os seus usuários. DISCUSSÕES: A implantação da Estratégia Saúde da Família (ESF) como novo modelo assistencial, a transição tecnológica na saúde e o desafio de articular uma ampla rede credenciada com os serviços próprios (ESF). A forma como os administradores buscam aliados no Conselho de Usuários, órgão consultivo da operadora, e nos usuários aderidos que participam dos espaços das unidades próprias para vencer as resistências e barreiras culturais dos usuários não-aderidos. A utilização das duas portas de entrada no sistema, o credenciamento e os serviços próprios utilizados pelos usuários aderidos e nãoaderidos à ESF. CONCLUSÕES: A imprecisão conceitual (de formulação) da estratégia, por parte da operadora, trouxe dificuldades operacionais para enfrentar o dilema central dessa empresa, ou seja, as duas lógicas assistenciais em disputa: a rede credenciada (modelo tradicional) e a estratégia (novo modelo). Não houve a esperada quebra de paradigma assistencial, de um modelo médico centrado para o outro. A transição tecnológica, apesar de percebida, é interpretada de forma diferente pelos dirigentes, funcionários e usuários “aderidos e não-aderidos”.pt
dc.description.abstractOBJECTIVES: Understand the user’s perception about the new ways of health care production through the new model known as Family Health Strategy (FHS) and how the user experiences the innovative health assistance processes comprised by the technological transition movement carried out by the Self-Management Service Provider (SMSP). METHOD: Qualitative research developed as a case study through interviews with semi-structured script, focal group and open interview. The research started after previous approval by the Ethics Research Committee and after the participants signed the Informed Consent pertaining thereto. The subjects are the self-management administrators, the health care unit, and respective users. DISCUSSION: The deployment of the Family Health Strategy (FHS) as a new health care assistance model, the technological transition in health and the challenge to coordinate a wide accredited network with their own services (FHS). The way how the administrators search for allies in the User's Committee, a consulting entity related to the service provider, and the "adhered" users who participate in their self-owned units to fight against resistance and cultural barriers regarding the "non-adhered" users. The use of the two entrances to the system, the accreditation and the services used by both FHS "adhered" and "non-adhered" users. CONCLUSIONS: The conceptual (formulating) inaccuracy of the Strategy presented by the service provider generated operational difficulties to fight the central dilemma of the organization, i.e., the two assistance logics in conflict: the accredited network (traditional model) and the strategy (new model). The expected assistance paradigm shift of a centered medical model to another did not take place. Although perceived, the technological transition is interpreted differently by the leaders, employers, as well as by the “adhered and non-adhered” users.en
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
dc.description.sponsorshipAgência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso aberto
dc.subjectOperadoras de Planos de Saúde
dc.subjectSaúde Suplementar
dc.subjectSaúde da Família
dc.subjectTransição Tecnológica em Saúde
dc.subjectUsuários
dc.titleO Usuário e a Estratégia Saúde da Família de uma Operadora de Autogestão no Município de São Paulopt
dc.typeDissertação de mestrado
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.identifier.fileTese-11831.pdf
dc.description.sourceTEDE
unifesp.campusSão Paulo
unifesp.graduateProgramSaúde Coletiva - EPM


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record