A Influência do exercício físico e da privação de sono no padrão de sono em atletas de corrida de aventura

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2006-12-01
Autores
Antunes, Hanna Karen Moreira [UNIFESP]
Orientadores
Mello, Marco Tulio de [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: A privação do sono pode causar diversas alterações endócrinas, metabólicas, físicas, cognitivas, neurais e modificações no padrão de sono que podem comprometer a saúde e a qualidade de vida do sujeito. Por outro lado, o exercício físico promove benefícios cardiovasculares, respiratórios, endócrinos, musculares e humorais, além disso, pode melhorar a qualidade do sono. Entretanto, a associação desses dois parâmetros não tem sido bem explorada, em parte pela dificuldade de não se conseguir voluntários que se submetam a essa condição, principalmente sem nenhum tipo de compensação financeira. Desta forma, a corrida de aventura se apresenta como um bom modelo de estudo. Objetivo: Avaliar a influência do exercício físico associado à privação de sono no padrão de sono em atletas de corrida de aventura em duas situações distintas: corrida outdoor (campo) e em uma simulação indoor (laboratório). Métodos: Indivíduos sedentários e atletas de corrida de aventura de ambos os gêneros se voluntariaram para este estudo. Foram realizadas três coletas de dados em campo e uma simulação indoor, sendo que durante as coletas em campo participaram apenas os atletas. Uma avaliação polissonográfica (PSG) padronizada foi conduzida uma semana antes dos experimentos e na primeira recuperação de sono pós-prova para os experimentos em campo, tendo como avaliação adicional na simulação indoor uma PSG durante o cochilo e 24 horas após o término do protocolo experimental. Resultados: A comparação pré X pós-prova nas coletas realizadas em campo, revelaram alterações no padrão de sono sendo o rebote de sono delta um dos parâmetros mais importantes. Esse resultado permitiu a elaboração de uma hipótese baseada na necessidade inicial de um aumento dessa fase específica do sono em função do desgaste físico a que esses atletas foram submetidos. Foi possível observar também que, a magnitude das modificações no padrão de sono dos atletas, variou conforme o volume final e específico da prova e de cada modalidade praticada, e que as condições ambientais também apresentaram uma participação importante nessa modificação. Já a coleta de dados realizada no laboratório, além de reproduzir os resultados observados em campo, permitiu ampliar o período de recuperação para 24 horas após o término do protocolo experimental, mostrando que, parâmetros como o sono REM, apresenta modificações nesse período, sugerindo que a recuperação desse estágio ficaria subjugado a um segundo plano, sugerindo a necessidade de estauração física inicial. Conclusão: Os resultados permitem concluir que o exercício físico associado à privação do sono promove alterações no padrão de sono, sugerindo uma necessidade inicial de restauração física marcada pelo aumento do sono delta, e que o rebote de REM para os atletas fica subjugado a um segundo plano.
Descrição
Citação
ANTUNES, Hanna Karen Moreira. A Influência do exercício físico e da privação de sono no padrão de sono em atletas de corrida de aventura. 2006. 134 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2006.