Estudo e validação de protocolo dos cuidados na assistência circulatória por balão intra aórtico em pacientes com insuficiência cardíaca refratária

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2010-12-28
Autores
Machado, Regimar Carla [UNIFESP]
Orientadores
Branco, João Nelson Rodrigues [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: Pacientes com Insuficiência Cardíaca (IC) e instáveis hemodinamicamente, às vezes necessitam de drogas inotrópicas e dispositivos de assistência ventricular, como o Balão Intra aórtico (BIA). Objetivos: Construção de um protocolo de cuidados com o BIA para paciente com IC grave refratária e validação do conteúdo dos indicadores correlacionando as publicações da literatura científica à vivência prática de especialistas. Método: Elaboração de itens que constituíram oito Indicadores Assistenciais (IA). A validação do conteúdo dos indicadores e julgamento dos seus itens foi realizada por 48 juízes, entre médicos e enfermeiros experientes em assistência ao paciente em uso do BIA. Foram considerados válidos os itens que obtiveram consenso mínimo de 75% na análise de concordância entre os avaliadores. Resultados: os itens considerados válidos foram: esclarecer ao paciente e a família quanto ao risco-benefício do balão intra aórtico (BIA); paramentar-se para realizar a inserção do BIA; usar heparina na solução que preenche o transdutor do sistema; utilizar solução de clorexidine alcoólica a 2% para a limpeza do local de inserção do BIA; instalar o cateter de preferência na artéria femoral; manter o paciente em decúbito horizontal e restringir o membro com a inserção do cateter; avaliar a posição do cateter na radiografia de tórax; realizar a avaliação clínica e com Doppler do membro de inserção do cateter;; avaliar o coagulograma - Índice de Normatização Internacional (INR),Tempo de Tromboplastina Parcial (TTPA) e Plaquetas; indicar anticoagulante com heparina subcutânea – enoxoparina; realizar a troca do curativo comum do sítio de inserção do cateter a cada 24 horas; monitorar constantemente a freqüência cardíaca (FC); monitorar a funcionalidade do equipamento (console) e a quantidade do gás hélio; iniciar o desmame após a estabilização hemodinâmica, a diminuição progressiva e gradual dos fármacos e a diminuição dos ciclos mandatórios da contrapulsação de 1:1 até 1:3; retirar o cateter balão pelo profissional médico; realizar compressão manual e curativo compressivo após a retirada do cateter; trocar o curativo compressivo após 24 horas. Conclusões: A partir dos resultados ficou estabelecido o protocolo de cuidados referentes ao paciente em uso do BIA. Devido à carência de abordagem do assunto na literatura, novos estudos devem ser realizados.
Introduction: Patients with Cardiac Insufficiency (CI) and hemodynamically unstable, sometimes need inotropic drugs and ventricular assistance devices, such as Intra-aortic Balloon (IBA). Objective: Construct o protocol for care with IBA for patients with serious CI refractory and validation of indicator contents correlating publications of scientific literature to experts' practical experience. Methods: Elaborate items that constitute eight Assistance Indicators (AI) that were judged by expert doctors and nurses to validate contents and verify reliability with agreement analysis among evaluators. Results: items that reached consensus among evaluators were: clarify to patient regarding the riskbenefit of the IBA; explain to family about risk-benefit of the IBA; use heparin in the solution that fills the system's transducer; use 2% alcohol chlorhexidine solution to clean insertion point of IBA; install catheter preferably in femoral artery; maintain patient in horizontal decubitus after inserting catheter; restrain member with catheter insertion; evaluate the position of the catheter through thorax radiography; perform clinical evaluation of catheter insertion member; perform evaluation of catheter insertion member with Doppler; evaluate coagulogram – International Standardization Index (ISI), Time of Partial Thromboplastin (TPT) and and Platelets; indicate anticoagulant with subcutaneous heparin – enoxaparin; change common dressing of catheter insertion site every 24 hours; constantly monitor cardiac frequency (CF); monitor functionality of IBA equipment (console); monitor quality of helium gas; begin withdrawal after hemodynamic stabilization, progressive decrease of medicine and decrease of mandatory cycles of counterpulsation from 1:1 to 1:3; remove balloon catheter by medical professional; perform manual compression after removing catheter; perform compressive dressing after removing catheter; change compressive dressing after 24 hours. Conclusions: From the results, the care protocol was established regarding patients using the IBA. Due to the lack of approach of the subject in literature, new studies must be performed.
Descrição
Citação
MACHADO, Regimar Carla. Estudo e validação de protocolo dos cuidados na assistência circulatória por balão intra aórtico em pacientes com insuficiência cardíaca refratária. 2010. 125 f. Tese (Doutorado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2010.