Influência das condições socioeconômicas nas alterações nutricionais e na taxa de metabolismo de repouso em crianças escolares moradoras em favelas no município de São Paulo

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2000-03-01
Autores
Grillo, L.p. [UNIFESP]
Carvalho, L.r. de
Silva, Antonio Carlos da [UNIFESP]
Verreschi, Ieda Therezinha do Nascimento [UNIFESP]
Sawaya, Ana Lydia [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
PURPOSE: A cross-sectional study was carried out to characterize the alterations in the resting metabolic rate (RMR), and socioeconomic conditions of 15 stunted (DP= height/age < 95% and 110% 3 weight/height >90%) and 15 nonstunted (EU= height/age > 95% and 110% 3 weight/height >90%) school girls living in shantytowns of São Paulo. METHODS: Resting metabolic rate was measured using indirect calorimetry. Socioeconomic data was collected during home visits by administration of a questionnaire. RESULTS: The mildly stunted group had a higher RMR when expressed as Kcal/kg body weight (EU= 40,5 Kcal/kg/day; DP=44,4 Kcal/kg/day; p<0.05) and lean body mass (EU= 49,2 Kcal/kg/day; DP=52,5 Kcal/kg/day; p<0.05). Stunting was associated with maternal illiteracy (EU= 13,3%; DP=57,1%; p<0.05), income per capita (EU=US$107,14; DP=US$54,40; p< 0.05), number of parasites per child (EU=0; DP=1; p<0.05), birth order (EU=2; DP=4; p< 0.05), and number of siblings (EU=4; DP=6; p<0.01). Stunting was best predicted by income percapita and maternal illiteracy by using multiple logistic regression. CONCLUSIONS: Although the two groups had normal weight/height, the group with mild stunting showed socioeconomic and metabolic alterations, typical of a malnourished condition.
OBJETIVOS: Realizou-se um estudo transversal para avaliar a taxa de metabolismo de repouso (TMR) e condições socioeconômicas em 15 crianças escolares do sexo feminino; eutróficas (EU= estatura/idade 3 95% e peso/idade entre 90-110%) e 15 com desnutrição pregressa (DP= estatura/idade < 95% e peso/estatura entre 90-110%) moradoras em favelas no município de São Paulo. MÉTODOS: Avaliou-se a TMR por calorimetria indireta, e a situação socioeconômica por entrevista domiciliar. RESULTADOS: O grupo DP apresentou TMR mais alta quando expressa por unidade de peso corpóreo (EU= 40,5 Kcal/kg/dia; DP=44,4 Kcal/kg/dia, p<0,05) e por quilograma de massa magra (EU= 49,2 Kcal/kg/dia; DP=52,5 Kcal/kg/dia, p<0,05); e diferenças significantes para renda per capita, analfabetismo materno, número de parasitas por criança, número de ordem entre os filhos e número de irmãos. Em análise multivariada as variáveis associadas à desnutrição foram renda per capita e analfabetismo materno. CONCLUSÕES: Embora os dois grupos tenham peso/estatura normais, a presença de baixa estatura leve foi acompanhada por alterações metabólicas e socioeconômicas típicas de um quadro de desnutrição.
Descrição
Citação
Revista da Associação Médica Brasileira. Associação Médica Brasileira, v. 46, n. 1, p. 7-14, 2000.
Coleções