Aleitamento materno em creches públicas e filantrópicas da cidade de São Paulo

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2010-09-29
Autores
Zapana, Pazzis Mestas [UNIFESP]
Orientadores
Taddei, Jose Augusto de Aguiar Carrazedo [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: O leite materno constitui-se no melhor alimento para o lactente, sendo alimento que possue nutrientes essenciais para o crescimento e desenvolvimento ideal da criança. Diminue os riscos de doenças infecciosas, respiratórias e gastrointestinais, como também de obesidade entre outros benefícios de ordem emocional e psicológica. Muitos são os fatores de risco que levam ao desmame precoce, alguns destes fatores estão relacionados à mãe, à criança, ao ambiente e fatores circunstanciais. A amamentação depende, portanto, de condições ambientais, as quais podem ser favorecidas pelo trabalho de orientação de educadoras de creches. Objetivo: Identificar e analisar os principais determinantes que influenciam na duração do aleitamento materno exclusivo e aleitamento materno de crianças atendidas em berçários de creches públicas e filantrópicas de São Paulo. Métodos: Estudo transversal, com 270 crianças de 4 a 29 meses de idade, frequentadoras de 8 creches do Município de São Paulo. Foram realizadas entrevistas com as mães utilizando um questionário estruturado e pré-codificado desenvolvido e previamente testado para coletar os dados individuais da criança, visando conhecer sua condição de saúde e nutrição. Foram abordados indicadores maternos, demográficos, clínicos, epidemiológicos, sócio-econômicos e ambientais. O aleitamento materno foi avaliado a partir de perguntas coletadas no questionário. Os dados foram analisados utilizando o método de Mann Whitney/Wilcoxon (Kruskal – Wallis) e modelos de sobrevida (Kaplan Meier e regressão multipla de Cox). Resultados: A duração média de aleitamento materno exclusivo foi de 79,1 ± 55,6 dias e de aleitamento materno de 185,3 ± 174,2 dias. Na análise multivariada para o aleitamento materno exclusivo foram encontrados os seguintes fatores de risco associados ao desmame precoce: o uso de chupeta, internação prévia e mãe que trabalha fora de casa. Para o aleitamento materno foram encontrados os seguintes fatores de risco: uso de chupeta e mãe que trabalha fora de casa. Conclusão: Os resultados obtidos demonstram que é preciso continuar com o incentivo e apoio ao aleitamento materno principalmente o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade. As creches podem e devem aliar-se a essa proposta, já que podem colaborar de maneira direta com alguns dos fatores determinantes do aleitamento materno, uma vez que são lugares apropriados para difundir mensagens de educação nutricional e orientações para mães e cuidadores de crianças menores de três anos.
Descrição
Citação
ZAPANA, Pazzis Mestas. Aleitamento materno em creches públicas e filantrópicas da cidade de São Paulo. 2010. 71 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.