Very short cycles of postconditioning have no protective effect against reperfusion injury. Experimental study in rats

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2014-12-01
Autores
Nakamura, Ricardo Kenithi
Santos, Carlos Henrique Marques Dos
Miiji, Luciana Nakao Odashiro [UNIFESP]
Arakaki, Mariana Sousa
Maedo, Cristiane Midori
Érnica Filho, Maurício
Cassino, Pedro Carvalho
Pontes, Elenir Rose Jardim Cury
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: Ischemic postconditioning has been recognized as effective in the prevention of reperfusion injury in situations of ischemia and reperfusion in various organs and tissues. However, it remains unclear what would be the best way to accomplish it, since studies show great variation in the method of their application. Objective: To assess the protective effect of ischemic postconditioning on ischemia and reperfusion in rats undergoing five alternating cycles of reperfusion and ischemia of 30 seconds each one. Methods: We studied 25 Wistar rats distributed in three groups: group A (10 rats), which underwent mesenteric ischemia (30 minutes) and reperfusion (60 minutes); Group B (10 rats), undergoing ischemia (30 minutes) and reperfusion (60 minutes), intercalated by postconditioning (5 alternating cycles of reperfusion and ischemia of 30 seconds each one); and group C - SHAM (5 rats), undergoing only laparotomy and manipulation of mesenteric artery. All animals underwent resection of an ileum segment for histological analysis. Results: The mean lesions degree according to Chiu et al. were: group A, 2.77, group B, 2.67 and group C, 0.12. There was no difference between groups A and B (P>0.05). Conclusion: Ischemic postconditioning was not able to minimize or prevent the intestinal tissue injury in rats undergoing ischemia and reperfusion process when used five cycles lasting 30 seconds each one.
Introdução: O pós-condicionamento isquêmico tem sido reconhecido como eficaz na prevenção das lesões de reperfusão em situações de isquemia e reperfusão em vários órgãos e tecidos. Entretanto, não está ainda claro qual seria a melhor maneira de realizá-lo, já que as publicações mostram grande variação de método no seu emprego. Objetivo: Avaliar o efeito protetor do pós-condicionamento isquêmico na isquemia e reperfusão intestinal em ratos, através de cinco ciclos alternados de 30 segundos de isquemia e 30 segundos de reperfusão. Métodos: Foram estudados 25 ratos Wistar, distribuídos em três grupos: grupo A (10 ratos), em que se realizou isquemia (30 minutos) e reperfusão (60 minutos) mesentérica; grupo B (10 ratos), isquemia e reperfusão, seguidos de pós-condicionamento isquêmico com 5 ciclos alternados de reperfusão e reoclusão, de 30 segundos cada; e grupo C (5 ratos), controle (SHAM). Ao final, ressecou-se um segmento do intestino delgado para análise histológica. Avaliaram-se os resultados pela classificação de Chiu et al. e procedeu-se ao tratamento estatístico. Resultados: As médias dos graus de lesão tecidual segundo a classificação de Chiu et al. foram: no grupo A, 2,77; no grupo B, 2,67; e no grupo C, 0,12. A diferença entre o resultado do grupo A com o resultado do grupo B não teve significância estatística (P>0,05). Conclusão: O pós-condicionamento isquêmico não foi capaz de minimizar ou prevenir a lesão tecidual intestinal de ratos submetidos ao processo de isquemia e reperfusão mesentérica quando utilizados cinco ciclos com duração de 30 segundos cada.
Descrição
Citação
Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, v. 29, n. 4, p. 521-526, 2014.
Coleções