Especialização em Cidades, Planejamento Urbano e Participação Popular

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 5 de 23
  • Item
    Acesso aberto (Open Access)
    Memórias de terreiro: fios que trançam e tecem o urbano
    (Universidade Federal de São Paulo, 2022-05) Maciel, Marilene Geronimo da Silva [UNIFESP]; Barros, Joana da Silva [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/6338475521035220; https://lattes.cnpq.br/5760665412904119
    O memorial estabelece como centralidade a análise do contexto e das ações políticas singulares, mobilizadas no território periférico circunscrito atualmente como Cidade Ademar no período de 2020 até 2022. O objetivo é evidenciar as práticas ancestrais das religiosidades de matrizes africanas, a partir dos estudos teóricos da pesquisa bibliográfica que envolve o resgate histórico das Memórias de Terreiro e levantamento de dados, pesquisa de campo (história oral), entrevistas, captação e produção de material audiovisual. No decorrer da pesquisa de campo, onde a experiência é vivida e ritualizada, a compreensão das características constitutivas das lutas sob a noção de memória é pensada e repensada nos relatos de resistências das mulheres negras e não negras, que são as principais lideranças em casas-terreiros. Link para vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=6gLQuWvu5yw
  • Item
    Acesso aberto (Open Access)
    Do Coletivo Cultural para o Movimento – A liga para luta Política em Guaianases
    (Universidade Federal de São Paulo, 2022-06-17) Oliveira, Pedro Gilvan da Silva [UNIFESP]; Raimundo, Silva Lopes [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/6052585588650816
    Este artigo visa descrever a formação e a atuação do Movimento cultural de Guaianases. Apresentar, em partes, a trajetória de um povo com referências indígenas, compreende a luta como continuação e acolhe a diversidade cultural. Paralelamente vislumbrar a potência que desenvolve no território a partir do encontro entre os coletivos culturais com o movimento e nasce os Guaianás. Dessa forma, abordar o surgimento, as linguagens artísticas e até mesmo os desdobramentos. O movimento de Guaianases ramificar primeiro com o Fórum Cultural da Zona Leste (FCZL) e depois Movimentos Culturais das Periferias (MCP). Na busca por articulações e cobrar o direito a cultura para as periferias. Compreender o período histórico político que possibilitou os surgimentos dos movimentos Culturais e os acessos as políticas públicas. Sendo a arte o veículo importante para costurar as relações, a luta política e fortalecimento da organização popular.
  • Item
    Restrito
    Direitos coletivos dos Guarani Mbyá e o Bioma Mata Atlântica : análise teórica e de dados das legislações federais e municipais a partir do contexto da Ocupação Yary Ty
    (Universidade Federal de São Paulo, 2022-06-15) Pankoski, Leila de Lacerda [UNIFESP]; Raimundo, Silvia Lopes [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/6052585588650816; http://lattes.cnpq.br/3965509521665891
    Propõe-se a análise das legislações federal e municipal envolvidas no contexto da Ocupação Yary Ty, realizada pelos Guarani Mbyá da Reserva Indígena do Jaraguá, em São Paulo/SP, contra a derrubada de um remanescente com árvores nativas da Mata Atlântica em terreno vizinho para a construção de novo empreendimento imobiliário pela empresa Tenda Negócios Imobiliários S.A.. O remanescente havia sido identificado pelo Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica (PMMA), pautado na Lei Nacional da Mata Atlântica (11.428/06). No entanto, as diretrizes do Plano Diretor Estratégico (16.050/14) e da Legislação de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo (16402/16) pautaram os avais da Prefeitura autorizando a supressão. A partir da análise das esferas legislativas, o texto explora a ideia de Sujeito Coletivo e seus direitos perante nossa Constituição e normativas consequentes, evidenciando os direitos negados aos Guarani e compreendendo a Ocupação Yary Ty enquanto instrumento para cumprir o dever e exigir seus direitos enquanto povos originários e de preservação ao Meio Ambiente. Em paralelo, a narrativa se realiza também na perspectiva dos direitos reservados ao Bioma Mata Atlântica, entendendo se a atual legislação urbanística paulistana se sobrepõe a esses direitos. Em sua parte empírica, a partir da hipótese de que existem outros lotes fiscais com a presença de remanescentes que podem ser suprimidos pela construção civil, o trabalho apresentará os resultados de uma pesquisa quantitativa que revelam a existência de outros lotes fiscais em situações semelhantes a do contexto da Ocupação Yary Ty, evidenciando quais são as zonas e outros aspectos legislativos que incidem sobre eles.
  • Item
    Acesso aberto (Open Access)
    Gênero e segregação urbana: a fala das mulheres faveladas como potência da reemergência popular
    (Universidade Federal de São Paulo, 2022-06-13) Teves, Lilian Pontes [UNIFESP]; Raimundo, Silvia Lopes [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/6052585588650816; http://lattes.cnpq.br/2991306471342227
    Sob a ótica do pensamento interseccional, como proposto por pensadoras do feminismo negro, este artigo procura pensar a segregação socioespacial em São Paulo a partir de reflexões sobre a formação das favelas na cidade, considerando a importância de uma leitura que leve em conta os marcadores sociais de raça, classe e gênero. Aqui, por meio relatos de diversas épocas, também são abordadas as potências e as tentativas de silenciamento da fala de grupos de mulheres que utilizaram sua voz como forma de mobilização e reemergência popular.
  • Item
    Acesso aberto (Open Access)
    Mulheres periféricas constroem seus mundos com as próprias mãos: urbanização e as mulheres militantes do Jardim Macedônia, Capão Redondo, na década de 1980
    (Universidade Federal de São Paulo, 2022-06-09) Morais, Ana Cristina da Silva [UNIFESP]; D'Andrea, Tiaraju Pablo [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/8070753587194833; http://lattes.cnpq.br/9433183924403212
    A década de 1980 configurou um momento de inflexão para as classes populares brasileiras, em que “novos sujeitos coletivos” (SADER, 1988) emergiram dos movimentos de bairro, sindicatos e novos partidos políticos, resultando em transformações para todo o país. Nesse contexto, as mulheres foram fundamentais para o desenvolvimento desse processo, em especial, nos movimentos de bairro. No entanto, de modo geral, suas histórias seguem invisibilizadas, sendo vistas, comumente, como um apoio à atuação masculina. Assim, como forma de dar visibilidade a essas mulheres, este trabalho tem como objetivo discutir os modos de organização comunitária das mulheres militantes no Jardim Macedônia durante a década de 1980. De forma secundária, também pretende discutir: i) as mudanças no papel social das mulheres periféricas durante o processo de urbanização brasileira da segunda metade do século XX; ii) as atuais reminiscências das ações das mulheres militantes no Jardim Macedônia durante a década de 1980; iii) os aprendizados que se pode colher dessas ações. Tem-se como hipótese que as diferenças de gênero na organização política-comunitária dos bairros populares da década de 1980 não eram tão pronunciadas quanto costumam ser no restante da sociedade capitalista. Para alcançar os objetivos colocados, foram realizadas entrevistas com moradores do Jardim Macedônia que durante a década de 1980 participaram da vida políticacomunitária do bairro. Além disso, foram levantados e sistematizados materiais e fotografias dos acervos pessoais de famílias do bairro e da antiga Sociedade Amigos do Jardim Macedônia e Adjacências.